Michel Temer defende unidade no MDB e partidos do centro em torno na candidatura de Meirelles

Temer classificou Meirelles como “o melhor entre os melhores” para representar o partido nas eleições presidenciais

O presidente Michel Temer defendeu nesta terça-feira, 22, unidade do MDB e dos partidos de centro em torno na candidatura do ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles à Presidência da República.

Henrique Meirelles cumprimenta Temer após discurso na sede do MDB Nacional
Henrique Meirelles cumprimenta Temer após discurso na sede do MDB Nacional

O ex-ministro foi lançado na manhã desta terça no encontro realizado pela Fundação Ulysses Guimarães, em Brasília, quando foi lançado o documento “Encontro com o futuro”.

Em discurso longo, Temer classificou Meirelles como “o melhor entre os melhores” para representar o partido nas eleições presidenciais de outubro deste ano. E apostou que o ex-ministro da Fazendo pode vir a ser uma surpresa nas, quando começar a percorrer o Brasil.

“Melhor dos melhores”

“Meirelles é o melhor dentre os melhores, não tenho dúvida disto”, declarou Temer. “Por isso você tem todas condições de estar à frente no nosso partido e da própria campanha eleitoral, e será uma surpresa quando ele andar por aí com a força do nosso MDB e a presença dos nossos líderes”, declarou.

O presidente lembrou que nesses 15 anos o MDB ele conduziu o o partido “numa unidade absoluta”. E reforçou: “Nós temos que aproveitar a campanha eleitoral para mostrar a unidade do MDB. Pode haver divergências, mas serão corrigidas na convenção nacional”, enfatizou

Prosseguir

“Vamos parar com essa história de eu não apoio o Meirelles. Dizer: "Ah, eu não apoio o Meirelles?". Então saia do partido. Temos que ter unidade absoluta. Não podemos contemporizar. O Brasil não permite mais isso. O povo brasileiro está atento. O povo está olhando a todos nós. O povo sabe o que é verdade e o que não é. Se nós (MDB) chegamos até aqui, temos que prosseguir”, completou.

No final do seu discurso Temer acrescentou: “Eu tenho enorme prazer de dizer que ficaria orgulhodíssimo se um dia o Meirelles for proclamado pelo voto popular presidente da República Federativa do Brasil.”

Candidato único

O presidente também se dirigiu aos partidos de centro – como PP, PR, PL, PSD, PRB, Solidariedade, Avante, dentre outros - que integram a base governista, no sentido de defender o ex-ministro da Fazenda como o "único candidato" do grupo.

“Que você, queira Deus, seja o único candidato do centro para continuar o que começamos. Se produzirmos agora 1/3 do que já produzimos, Meirelles, você vai pegar o país com tranquilidade absoluta”, avisou.

Ala contrária

Temer ainda mandou um recado à ala do partido que insiste em ignorar os feitos do seu governo e não defender, nestas eleições, a gestão Michel Temer – como vem se portando o diretório de Alagoas, do senador Renan Calheiros, do Paraná, do senador Roberto Requião, e do Ceará, comandado pelo presidente do Congresso, senador Eunício Oliveira.

“Será que o MDB tem o direito de ignorar tudo que fizemos ou de levar adiante?”, questionou Temer. “Levar adiante. Não podemos negar, melhorou e em pouquíssimo tempo. Imagina em mais quatro anos. E não podemos brincar que a crise volta. O MDB nunca faltou ao País”, acentuou.

Temer também revelou que deseja contar com o apoio também do Parlamento para que “Meirelles possa governar o pais com tranquilidade absoluta”. “Temos que aprovar o que for possível e urgente no Congresso Nacional”, disse.

Encontro com o Futuro

Ao discorrer sobre o documento “Encontro com o Futuro”, lançado pela Fundação Ulysses Guimarães, Temer ressaltou que não se trata de “mais um documento”.

“Muitos não têm dimensão do nosso gesto. Os mais afoitos, talvez, dirão que estamos lançando apenas mais um novo projeto. Mas engana-se aqueles que acham que se trata de mais um projeto político”, disse.

Mais lidas nesse momento