Alemães dão quarto mandato a Angela Merkel

Os partidos que estão no governo na Alemanha sofreram perdas significativas, mas chegaram à frente na eleição parlamentar deste domingo

Partido da chanceler perde cadeiras no Parlamento, mas segue como maior bancada, suficiente para seguir à frente do governo. Social-democratas voltam à oposição, e populistas de direita alcançam resultado expressivo.Os partidos que estão no governo na Alemanha sofreram perdas significativas, mas chegaram à frente na eleição parlamentar deste domingo, 24, na Alemanha.

A União Democrata Cristã (CDU) e a União Social Cristã (CSU), que concorrem com a chanceler federal Angela Merkel como candidata à reeleição, estão na frente segundo todas as pesquisas de boca de urna.

Na da ARD/DW, eles alcançam 32,5%, com perda de 9 pontos percentuais. Na da emissora ZDF, são 33,5%, ou perda de oito pontos percentuais. Se os números se confirmarem, será o pior resultado dos conservadores desde a Reunificação e o segundo pior na história da República Federal da Alemanha.

A CSU também deve amargar uma forte queda na Baviera, único estado onde está representada. Uma pesquisa da emissora BR colocou os social-cristãos na frente, mas com 38,5%, bem abaixo do resultado de 2013, de 49,3%.

Em segundo lugar nas projeções está o Partido Social-Democrata (SPD), do candidato Martin Schulz, que aparece com 20% dos votos na pesquisa da ARD/DW (perda de 5,7% em relação à pesquisa de 2013) e com 21% na da ZDF (queda de 4,7%).

Logo após a divulgação das pesquisas bocas de urna, a vice-presidente do SPD, Manuela Schwesig, anunciou que o partido não vai aceitar formar governo com a CDU/CSU e vai para a oposição. "Este é um resultado muito ruim para o SPD, uma derrota muito dura. Para nós, a grande coalizão acaba aqui", anunciou, em entrevista à ZDF. Segundo ela, a decisão da liderança do partido foi unânime.

O terceiro lugar ficou com o partido Alternativa para a Alemanha (AfD), com 13,5% na pesquisa boca de urna da ARD/DW e 13% na sondagem da ZDF. Com isso, o partido terá a terceira maior bancada na Bundestag (Parlamento). Porém, diante do anúncio do SPD, não deverá assumir a liderança da oposição.

Como única alternativa viável para os partidos conservadores costurarem uma coalizão restam o Partido Liberal Democrático (FDP) e o Partido Verde, que têm, respectivamente, 10,5% e 9,5% na pesquisa da ARD/DW e 10% e 9% na da ZDF.

Essa coalizão deverá, porém, ser difícil de ser formada devido às divergências programáticas entre liberais e verdes e também entre os verdes e a CSU, o partido conservador da Baviera, em temas como a política para refugiados e os transportes