RSS
Twitter
WhatsApp do Portal AZ86 9981.8563

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Busca
publicidade

Marta Suplicy não vai fazer campanha para Haddad

29/06/2012 • 16:20

A senadora Marta Suplicy: dedicação ao Senado e à presidente Dilma (José Cruz/Agência Senado)

Magoada desde que foi preterida na escolha do candidato do PT à prefeitura de São Paulo, a senadora Marta Suplicy cansou de sinalizar ao PT a sua insatisfação com os rumos da campanha. Faltou ao evento do partido que confirmou a pré-candidatura do ex-ministro da Educação Fernando Haddad, no início de junho, e ao qual compareceram todas as lideranças expressivas da legenda, entre elas o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Depois lançou na imprensa frases enigmáticas sobre seu futuro no partido, embora continuasse negando a intenção de deixar a legenda que ajudou a fundar. Os petistas mais próximos descartavam, de fato, sua saída, mas restava a dúvida: qual seria sua postura quando a campanha começasse de fato? Marta deixaria de lado seu ego e pediria votos para Haddad? Nesta sexta, a senadora acabou com o suspense. "Vou me dedicar aos oito anos de mandato no Senado e à reeleição da presidente Dilma", afirmou Marta Suplicy, ao ser questionada sobre o seu papel na campanha de Haddad. Mais clara, impossível.

A senadora também comentou a maior controvérsia da pré-campanha até agora, a aliança do seu PT com o PP de Paulo Maluf, que rendeu a histórica foto de Lula malufando nos jardins da mansão do deputado pepebista. “No assunto dessa aliança, eu só posso falar por mim", respondeu. "Nós temos em São Paulo um grupo de pessoas que apoia o Maluf e o resto, as outras pessoas, que tem urticária quando ouvem o nome do Maluf”, deixando claro que, assim como a deputada Luiza Erundina, Marta não pretende malufar para agradar quem quer que seja.

As declarações, feitas ao final de uma audiência da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito da Violência contra a Mulher, realizada na Assembleia Legislativa de São Paulo, tornaram pública a resposta que Haddad não queria ouvir. Com apenas 6% das intenções de voto no último levantamento do instituto Datafolha, o candidato petista seria beneficiado pela presença de Marta Suplicy em seu palanque. Com boa penetração na periferia da cidade que governou entre 2001 e 2004, a senadora tinha 29% das intenções de voto na primeira pesquisa do mesmo instituto, realizada em setembro do ano passado. Naquele cenário, superava até o principal rival, o candidato tucano José Serra, que surgia com 18%.

Sem o nome da senadora no páreo, o levantamento já previa, no ano passado, o cenário que existe hoje: Serra liderava a disputa, com o candidato do PRB, Celso Russomanno, em segundo lugar. Apesar dos números, Lula fez valer a sua vontade: o ex-presidente preferia o "novo" e pressionou Marta a desistir da disputa. Ela se submeteu. Agora, vai deixar a Lula a missão de eleger o pupilo.

Fonte: Veja Online
  • Comentários

  • Facebook

COMENTE

Seja o primeiro a comentar

Últimas Notícias
próximo anterior veja mais notícias
COMPARTILHE COM AMIGOS
ENVIE SEU COMENTÁRIO

Os comentários feitos por leitores são de inteira responsabilidade de seus autores.
O Portal AZ não responde pelo conteúdo postado nesse espaço.

portal az - Informação de Verdade
Todos os direitos reservados © 2000 - 2014