Chifre em cabeça de cobra

Num processo de concorrência pública, principalmente quando envolve milhões de recursos, são naturais as reações de quem sai perdendo. Isso está ocorrendo com a licitação que trata da subconcessão do sistema de água e esgoto de Teresina, onde uma das três megas empresas que a disputaram resolveu apontar possíveis irregularidades. Até aí nada mais natural. Não é normal é a forma como algumas personagens inclusive dos órgãos de fiscalização tem se comportado. Corre a informação, de bastidores, segundo a qual haveria forte movimento para fazer o TCE barrar o processo tirando o caso da alçada do conselheiro Kennedy Barros para cair em mãos ditas adversárias políticos do governo. Ora, a coisa já começa errada porque, apesar das indicações políticas para ocupação de cargo de conselheiro, no TCE não deve existir essa distinção. Estão levando para o tribunal os recursos contra as supostas ilegalidades que sequer a comissão de licitação julgou. Ou seja, surgem interessados em discutir, paralelamente, a questão sem que haja, concretamente, um motivo para tal feito. Depois de uma longa sequência de discussões, audiências públicas, debates acalorados de natureza técnica e disputa de preços, quando se imagina que chegou a hora de executar finalmente um contrato de promessa perdida há décadas, eis que surgem esses obstáculos que podem causar transtornos incontornáveis e atrasar ainda mais o início das obras. Já se disse aqui que o problema de falta de gestão na Agespisa destruiu completamente uma empresa que sempre foi a maior do estado, e, com isto, arrastou toda a população para a mesma lama, no mais amplo dos sentidos, diante da falta de esgotamento sanitário na cidade de Teresina, e a eterna escassez de água em muitas torneiras, de quem mais precisa. Portanto, em última análise, seria muito mais conveniente e oportuno que o Tribunal de Contas do Estado acompanhasse as licitações com o seu representante ao vivo, fisicamente, especialmente em casos de grande destaque o de grande valor como é o caso que envolve a Agespisa. Fica, afinal, a expectativa de que exista uma rápida solução para todas as pendências, porque a população está cansada de tanto esperar.

No tempo em que IBDF (pai do atual Ibama) só fiscalizava transporte de madeira, o tatu era iguaria das mais nobres, à mesa inclusive de governador. Ei-lo aqui, na bandeja, pra deleite do então governador Dirceu Arcoverde (1975-1978), do então deputado Hugo Napoleão, seus dois visitantes e do falecido prefeito Wall Ferraz.
No tempo em que IBDF (pai do atual Ibama) só fiscalizava transporte de madeira, o tatu era iguaria das mais nobres, à mesa inclusive de governador. Ei-lo aqui, na bandeja, pra deleite do então governador Dirceu Arcoverde (1975-1978), do então deputado Hugo Napoleão, seus dois visitantes e do falecido prefeito Wall Ferraz.

Lotofácil
Em São João do Piauí estão fazendo apostas para saber de que família é o ganhador dos R$ 2 milhões da Lotofácil, da semana passada.
Se for alguém da família Paes Landim, a casa do Patró vai ser pequena para os cobradores.

Alô, comandante!
A polícia militar precisa agir, rápido.
A partir das 20 horas, bares, notadamente na Avenida Homero Castelo Branco, espalham cadeiras além do limite de suas calçadas, invadindo a rua, com sério perigo para os próprios frequentadores.

Point da bagunça
Na madrugada de sexta para sábado, dezenas de pessoas colocavam as mesas no passeio da Homero, que já é estreito, o que chega a ser um ‘prato cheio’ para algum louco alcoolizado atropelar muita gente.
Quem quiser presenciar esse desatino, principalmente a partir das quintas-feiras, ande pela Homero, cruzamento com a rua Juiz João Almeida.

Tragédia
A Polícia e o Ministério Público precisam agir antes que aconteça uma tragédia, até mesmo porque é fácil identificar centenas de menores ingerindo bebida alcoólica no meio da rua.

Aliás...
Caso de menores embriagados e drogados não é privilégio só desse lugar.
As lojinhas de conveniência dos postos de combustíveis são seus espaços preferidos.

Decisão
O juiz Antônio Noleto decidiu mandar a júri popular todos os acusados e envolvidos na morte do corretor piauiense Fabio Brasil, fato ocorrido em 2012, em Teresina.
Está-se vendo que de nada adiantaram os argumentos dos advogados de defesa que quiseram colocar a responsabilidade em Junior Bolinha como o mandante do crime.

Elenco
Seguro e comedido, o juiz achou por bem incluir todos para a decisão do Conselho de sentença: o pistoleiro Jônathan, o agiota Gláucio e o seu pai Miranda, além dos intermediários Fabio e Capitão. Todos estão presos no Maranhão.
A defesa ainda pode recorrer da decisão do juiz.

Fala, Merlong!
Semana passada o secretário de Governo Merlong Solano chegou a dizer que o governo estadual não desistiu do PMDB. Ou seja, quer dizer que Wellington quer mesmo esse partido na base aliada.
Parece que Merlong não andou conversando com um dos líderes do PMDB, o ex-ministro João Henrique Souza.

Fala, João!
Se algum repórter colocar microfone na boca de João Henrique sobre o que ele pensa da declaração de Merlong, João (que um dia foi Maguim) não titubeará:
“O PMDB já desistiu do PT há muito tempo”.

Ativismo em rede
A jornalista piauiense Flávia Rocha participou em Salvador, como debatedora, do Simpósio “Cultura e política: ativismo e movimentos em rede”, juntamente com figuras como Felipe Altenfelder, um dos fundadores do Mídia Ninja; Ivana Bentes, ex-secretária da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura; e Marcos Bulhões, diretor de polêmicas performances urbanas.

Ativismo em rede 2
Um trabalho de Marcos Bulhões que ficou bem conhecido na internet foi “Cegos”, um protesto silencioso que leva centenas de atores vestidos de executivos, com os olhos vendados e corpos cobertos de argila, em protesto silencioso que reflete sobre a cena política brasileira, a busca incessante pelo poder e as relações humanas petrificadas.

Ativismo em rede 3
Bulhões disse que a intervenção “Cegos”  já percorreu várias capitais brasileiras, mas ainda não chegou a Teresina, onde ele adoraria apresentar o seu último trabalho. Adoraria também conhecer o pessoal do Núcleo do Dirceu, que tem Marcelo Evelin como maior referência.

Ping Pong

O tamanho do apelido

O jornalista Pedro Alcântara comenta com Zózimo Tavares, no programa Canal Livre, da rádio Difusora, sobre o processo de cassação do mandato do prefeito de Nossa Senhora dos  Remédios, José Alexandre.
Pedro: “Na cidade ele é conhecido como Priquitim...”
Zózimo: “ Por que?”
Pedro: “Não sei, só sei que ele é pequenininho...”
Zózimo: “E se fosse grande, como seria o seu apelido?”

 

Expressas

Secretário Henrique Rebelo já escolheu o novo Centro Educacional Masculino. Henrique anunciou a instalação de câmeras e alarmes.

A Secretaria de Saúde aumenta quantidade de medicamentos gratuitos no Estado, destacando hiperparadireotismo secundário e osteopenia decorrente de insuficiência renal.

A folha de pagamento dos aposentados e pensionistas da Prefeitura de Teresina  já está pronta. O pagamento estará disponível na próxima quarta-feira.