E o pudor, senhores vereadores?

Os vereadores que compõem a Câmara Municipal de Teresina, de há muito parecem que esqueceram as atribuições que lhes competem como representantes da população teresinense, isto é, elaborar leis que venham de encontro aos mais prementes interesses da sociedade, mas ao contário,  não têm  feito outra coisa, a não ser, votar o que vem embrulhado em forma de projeto definitivo do Palácio da Cidade, e com mais intensidade, oferecerem todo o típo de títulos honoríficos nas mais diversas categorias.

Mas agora, a coisa parece que desanandou  de vez, naquele parlamento municipal, já que, sem o mínimo de preocupação com o que seja , pudor, decência, etc etc, os vereadores no começo dessa legislatura-1917-1918, já haviam mudado o regimento interno daquele poder, ao permitirem a reeleição da sua mesa diretora, o que era até então, expressamente vedado.

Já nesta terça-feira, esses mesmos vereadores do município de Teresina, foram além do imaginável, ao votarem requerimento estabelecendo uma nova eleição para a próxima quinta-feira, pleito este que reelegerá a atual mesa diretora para o biênio 1919-1920.  Dos vinte e nove vereadores com assento naquela casa, vinte e quatro-sendo cinco suplentes- votaram a favor dessa falta de pudor, se posicionando contra essa imoralidade, apenas os vereadores Edson Melo, Graça Amorim e o suplente, no exercício da função, sargento R. Silva .

Os demais vereadores, aqueles que votaram a favor dessa ignomínia , deverão sofrer a repulsa do eleitorado teresinense, já que só pensam nos seus interesses pessoais.

É isso