Política: teoria e prática

A abordagem do nome política aqui não deve ser compreendido no sentido clássico do termo mas sim pela ótica do pragmatismo político. Conforme notícias públicas advindas de Brasília; informam que o Palácio tem interesse na conjectura política local. E agora ? Um mero deputado local tem poder de contrariar uma ordem do presidente nacional? Isso ou configura jogo pra plateia ou traição no pior sentido do termo? Certo mesmo é que quanto mais tarde sair; pior será de entender e compreender. Quem é mestre na Arte de enganar; vai ser deixado enganar facilmente?

O Tradicional maior Partido Político Brasileiro somente tem uma saída; qual seria a saída lógica a ser colocada em prática? Dizimar o seu maior opositor. Quem é atualmente o maior opositor da Presidência da República? O que caracteriza bem um intelectual? Não é a sua capacidade de agir com razão e sem aspectos aditivos consubstanciais providos de emoção? A estratégia já está posta no tabuleiro e começa a ser colocada de forma pública. E as duas derrotas recentes? Uma local e outra nacional estampada em todos os veículos de comunicação de onde partiu? O cerco é tão extenso e grande que as aproximações são mera aparência. Eis a realidade!

O que muitos orquestram e não compreendem é que quanto mais demorar largar o osso, pior será a situação dos ditos governistas. A República Federativa do Brasil vive um novo momento; o cidadão brasileiro não aceita mais vitimizações; mas também odeia mudança de lado em cima da hora. Esperar o momento certo pra afastar-se não é mais receita adequada dos manuais da política. O Brasil realmente mudou; o poder de esclarecimento da população se acentuou de tal forma que a única certeza é a não certeza sobre fatos e acontecimentos. Mas a sua popularidade é imbatível ?

Quem disse isso? O principal opositor começa agora a contar com uma estratégia nacional de candidatura. Quem em sã consciência terá coragem de bater de frente com o poder nacional? Um mero deputado que mais esbraveja do que cumpre acordos? A falta de senso é tanta que imaginam que tudo que sai a nível local o nacional não toma conhecimento? Tem um provérbio romano que diz que amizade vale muito mais do que dinheiro; e já pensou amizade alicerçada em estrutura sócio-político- econômica e financeira ? O que hoje é fraco; tornar-se-á tão forte que os que chegarem por último perderão pouco ou muito em termos de negociações? Eis a política brasileira!

Criticar, tecer comentários é uma coisa; governar é outra totalmente diferente. O Brasil depois da ruptura ética afetou até mesmo psicologicamente as pessoas? Isso é fato. Nas ruas a rejeição a qualquer falácia mentirosa de jogar empresas contra pessoas, empresários contra trabalhadores não servirá mais pra nada! A tentativa de tecer a República Federativa do Brasil em uma briga constante entre pobres e ricos não cola mais. O cidadão está se tornando pragmático!

O que é ser pragmático? Ser partidário do pragmatismo é ser prático, ser realista. Aquele que não faz rodeio, que tem seus objetivos bem definidos, que considera o valor prático como critério da verdade. É ter seus objetivos bem definidos, é fugir do improviso, é basear-se no conceito de que as ideias e atos só são verdadeiros se servirem para a solução imediata de seus problemas. Eis a lógica!

E quem vai compor com os pragmáticos? Todos os que conseguirem enxergar o que os inebriados por interesses pessoais não conseguem captar e entender. O maior partido político do Brasil resiste a vários e vários anos por atuar dentro da Lei e das habilidades humanas cotidianas. O maior poder de convencimento contemporâneo não é mais a palavra falaciosa em termos políticos e sim a capacidade de cumprir com o empenho da palavra dada. Viveremos tempos da Arte de fazer política. Política está passando a não ser mais o nós contra eles; mas todos contra apenas UM!

Não acreditem em promessas vazias! O cavalo está passando selado mais uma vez? Se não descerem do muro agora; ficarão sempre administrando o mínimo do máximo. É melhor administrar o máximo ou o mínimo? Já pensou o quanto todos os piauienses ganhariam com uma tomada estratégica de poder? Se os de cima do muro já conseguem fazer o bem coletivo administrando o mínimo; muito mais conseguirão fazer pra coletividade administrando o máximo!