Governadores do PT se reúnem nesta quinta (17) em Minas para analisar quadro e o nome de Ciro

A recente declaração do governador Wellington Dias (PT) sobre o nome do ex-ministro e presidenciável Ciro Gomes (PDT) de que seria uma alternativa a considerar ganhou o país. Ou pelo menos repercutiu entre os demais governadores do PT. Tanto que o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, convidou os governadores petistas para uma reunião nesta quinta-feira (17) em Minas Gerais para discutirem o cenário político após a prisão do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva.

Primeiro a lançar a idéia de uma discussão sobre a candidatura alternativa de Ciro Gomes, o governador do Piauí estará presente.

O fato é que governadores do PT e de partidos de esquerda começam a admitir a hipótese de aliança em favor da candidatura presidencial de Ciro Gomes (PDT), casos também de Fernando Pimentel e do governador da Bahia Rui Costa (PT), além de governadores do campo da esquerda, como Flávio Dino (PC do B-MA), que já manifestaram suas posições publicamente.

Agora, montar esse quebra-cabeça é o problema. Especialmente porque essa movimentação e discussão contrariam a estratégia da cúpula petista, que reafirmou a decisão de lançar a candidatura de Lula, ainda que ele esteja preso. Dirigentes do PT afirmam que apoiar outro nome no momento em que não foram esgotados todos os recursos legais em defesa de Lula seria uma traição. E para eles Lula deixou clara a pretensão de disputar em carta enviada ao partido. Nela o ex-presidente afirma que a desistência soaria como confissão de culpa.