1. Blogs
  2. Mãe de primeira
  3. Desenvolvimento do bebê: O que faz o Bebê com cinco meses
Publicidade

Desenvolvimento do bebê: O que faz o Bebê com cinco meses

Bom, sei que estou um pouco em falta com vocês, mas a medida que o bebê cresce a demanda por atenção, brincadeiras e carinho aumentam. Aí vem trabalho, casa, marido, família... enfim, o tempo “livre” vai diminuindo.

Mas estou aqui para falar do que aprendi convivendo com o Igor Fernando no seu quinto mês de vida.

Comemorando os cinco meses de vida (Foto:Arquivo Pessoal)

Eu estou achando a coisa mais linda chamá-lo pelo nome e ele olhar. Totalmente encantada com isso. Outra coisa bem interessante é que ele já começa a desenvolver e degustação, ninguém pode comer nada na frente dele (hahaha), pois tudo que ele vê à sua frente e está ao seu alcance é motivo de degustação.

A mão está sempre na boca (foto:Arquivo Pessoal)

Nesses dias ele aprendeu a sentar, o que é um alívio para os meus braços, postura está cada vez mais firme. Ele adora elevar as pernas para alcançar os pés e colocar o dedão na boca. O Igor também já rola na cama quando virado de bruços e apoia na palma das mãos tentando levantar.

Já senta sozinho (Foto:Arquivo Pessoal)

Fator curiosidade aumentou. Ele segura objetos e quer agarrar tudo... Cabelo então nem se fala, ele puxa mesmo! Ele começou a utilizar o contato físico para se comunicar com outras pessoas. Agarra, apalpa, quer sentir e tocar em tudo. Dá os bracinhos quando quer colo.

Nessa fase o Igor coloca tudo na boca, incluindo os dedos. Ele chupa os brinquedos, coloca o pé na boca, lambe objetos que estão à sua volta, pega meu dedo e tenta morder.

Solta gargalhadas e emite sons ao brincar porque acha divertidos os barulhos que faz. Solta gritos de alegria e usa seu “blá-blá-blá” para interromper a conversa dos outros e chamar atenção para si. Seu rosto expressa medo, susto, alegria, raiva, ansiedade, excitação.

Como sua visão e percepção estão muito evoluídas, começou a estranhar pessoas que não conhece ou não vê frequentemente. 

Ele não é fã do calor (Foto:Arquivo Pessoal)

O Igor Fernando começou a brincadeirinha de jogar os objetos no chão pra gente pegar, já vi que vai virar rotina!

Sobre o sono devo confessar que muita coisa mudou. Ele tem dormido mais a noite, no máximo acorda uma vez. Mas ultimamente está sendo difícil porque a curiosidade dele é maior que o sono. Às vezes coloco ele no berço e ele abre os olhos e o sorriso (como se não tivesse dormindo, apenas engando a mamãe aqui).

Recebi a dica de deixar ele acordado mais tempo, mas ele ficar choroso quando está com sono... Tenho tentado iniciar uma nova rotina de sono, mas como disse, ele é duro na queda.

Meu bebê ainda não faz nada disso, e agora?

Calma, calma mãezinha! Lembre-se, cada bebê é de um jeito e atinge certo marcos de desenvolvimento físico no seu próprio ritmo. O que contei aqui pode servir de referências de etapas que seu filho tem potencial para alcançar, se não agora, em pouco tempo.

Agora, aos seis meses vamos iniciar a introdução alimentar. Vou contar para vocês como será essa aventura de sabores e cores.


 

Bom, sei que estou um pouco em falta com vocês, mas a medida que o bebê cresce a demanda por atenção, brincadeiras e carinho aumentam. Aí vem trabalho, casa, marido, família... enfim, o tempo “livre” vai diminuindo.

Mas estou aqui para falar do que aprendi convivendo com o Igor Fernando no seu quinto mês de vida.

Comemorando os cinco meses de vida (Foto:Arquivo Pessoal)

Eu estou achando a coisa mais linda chamá-lo pelo nome e ele olhar. Totalmente encantada com isso. Outra coisa bem interessante é que ele já começa a desenvolver e degustação, ninguém pode comer nada na frente dele (hahaha), pois tudo que ele vê à sua frente e está ao seu alcance é motivo de degustação.

A mão está sempre na boca (foto:Arquivo Pessoal)

Nesses dias ele aprendeu a sentar, o que é um alívio para os meus braços, postura está cada vez mais firme. Ele adora elevar as pernas para alcançar os pés e colocar o dedão na boca. O Igor também já rola na cama quando virado de bruços e apoia na palma das mãos tentando levantar.

Já senta sozinho (Foto:Arquivo Pessoal)

Fator curiosidade aumentou. Ele segura objetos e quer agarrar tudo... Cabelo então nem se fala, ele puxa mesmo! Ele começou a utilizar o contato físico para se comunicar com outras pessoas. Agarra, apalpa, quer sentir e tocar em tudo. Dá os bracinhos quando quer colo.

Nessa fase o Igor coloca tudo na boca, incluindo os dedos. Ele chupa os brinquedos, coloca o pé na boca, lambe objetos que estão à sua volta, pega meu dedo e tenta morder.

Solta gargalhadas e emite sons ao brincar porque acha divertidos os barulhos que faz. Solta gritos de alegria e usa seu “blá-blá-blá” para interromper a conversa dos outros e chamar atenção para si. Seu rosto expressa medo, susto, alegria, raiva, ansiedade, excitação.

Como sua visão e percepção estão muito evoluídas, começou a estranhar pessoas que não conhece ou não vê frequentemente. 

Ele não é fã do calor (Foto:Arquivo Pessoal)

O Igor Fernando começou a brincadeirinha de jogar os objetos no chão pra gente pegar, já vi que vai virar rotina!

Sobre o sono devo confessar que muita coisa mudou. Ele tem dormido mais a noite, no máximo acorda uma vez. Mas ultimamente está sendo difícil porque a curiosidade dele é maior que o sono. Às vezes coloco ele no berço e ele abre os olhos e o sorriso (como se não tivesse dormindo, apenas engando a mamãe aqui).

Recebi a dica de deixar ele acordado mais tempo, mas ele ficar choroso quando está com sono... Tenho tentado iniciar uma nova rotina de sono, mas como disse, ele é duro na queda.

Meu bebê ainda não faz nada disso, e agora?

Calma, calma mãezinha! Lembre-se, cada bebê é de um jeito e atinge certo marcos de desenvolvimento físico no seu próprio ritmo. O que contei aqui pode servir de referências de etapas que seu filho tem potencial para alcançar, se não agora, em pouco tempo.

Agora, aos seis meses vamos iniciar a introdução alimentar. Vou contar para vocês como será essa aventura de sabores e cores.


 

Introdução alimentar não precisa ser um bicho de sete cabeças Minha experiência com a vacinação na rede particular