1. Blogs
  2. Claudio Barros
  3. Produtores usam suas máquinas para consertar estradas estaduais no cerrado do Piauí
Publicidade

Produtores usam suas máquinas para consertar estradas estaduais no cerrado do Piauí

Os produtores de grãos de Uruçuí, Bom Jesus, Palmeira do Piauí, Currais, Sebastião Leal e de outros municípios no Sudoeste do Estado estão colocando máquinas, homens e combustível para consertar as estradas da região. Eles cansaram de esperar que o governo estadual cumpra seu papel de manter a malha viária em mínimas condições de tráfego.

O serviço de melhoramento de estrada feito pelos agricultores

Em outra frente, os agricultores trabalham para manter em condições mínimas de trafegabilidade a principal rodovia da região, a Transcerrados, que parte de Uruçuí, vai pela Serra do Quilombo até Bom Jesus, Currais e Palmeira do Piauí – quatro municípios com grandes cultivos de soja e milho. Está intransponível a estrada entre a colônia Nova Santa Rosa, que reúne dezenas de produtores, e Uruçuí. São 140 km de muita lama e atoleiros nessa rodovia estadual, cuja pavimentação é uma reivindicação antiga dos produtores da região, cujos custos de transporte oneram a produção e reduzem os ganhos, já que eles pagam mais para trazer insumos para propriedades e escoar os grãos que colhem.

Máquinas de produtores consertam estrada no cerrado

O trabalho iniciado agora de melhoria da Transcerrado (PI-397), realizado pelos agricultores vai da Fazenda Laranjeira (Currais) até na entrada da Nova Santa Rosa (Uruçuí-PI), passando também pelo trecho do município de Palmeira do Piauí.

O agricultor Altair Fianco diz que não é possível determinar o custo financeiro dos trabalhos de recuperação das estradas, mas alerta que não é pouco dinheiro que os produtores estão aplicando. “Muito difícil quantificar, mas considere que são cerca de 140 km, com uso de máquinas pesadas, de pessoal e combustível”, diz Altair Fianco, que lastima o fato de não haver um trabalho de recuperação prévia da malha viária da região, que nesta no deverá produzir cerca de 4 milhões de toneladas de grãos.

Fianco diz que os produtores de grãos perderam por completo a confiança no governo e esperança de que possam ser feitas obras viárias que garantam menor custo de produção e escoamento na safra. “Não temos esperança nem mesmo em operações tapa-buracos”, diz;

O lamaçal toma conta das rodovias na região

O governo trabalha com a ideia de uma Parceria Público-Privada para a Transcerrado, mas essa não será a primeira tentativa para fazer a estrada nessa modalidade de exploração. Os agricultores estão um tanto quanto céticos sobre o êxito de uma PPP, porque a proposta está distante da realidade econômico-financeira da região.

Seja como for, Altair Fianco informou que haverá uma reunião com produtores para discutir a questão de PPP ou concessão da rodovia. Será na Nova Santa Rosa, no dia 9 de maio.

Assista ao vídeo abaixo:

Os produtores de grãos de Uruçuí, Bom Jesus, Palmeira do Piauí, Currais, Sebastião Leal e de outros municípios no Sudoeste do Estado estão colocando máquinas, homens e combustível para consertar as estradas da região. Eles cansaram de esperar que o governo estadual cumpra seu papel de manter a malha viária em mínimas condições de tráfego.

O serviço de melhoramento de estrada feito pelos agricultores

Em outra frente, os agricultores trabalham para manter em condições mínimas de trafegabilidade a principal rodovia da região, a Transcerrados, que parte de Uruçuí, vai pela Serra do Quilombo até Bom Jesus, Currais e Palmeira do Piauí – quatro municípios com grandes cultivos de soja e milho. Está intransponível a estrada entre a colônia Nova Santa Rosa, que reúne dezenas de produtores, e Uruçuí. São 140 km de muita lama e atoleiros nessa rodovia estadual, cuja pavimentação é uma reivindicação antiga dos produtores da região, cujos custos de transporte oneram a produção e reduzem os ganhos, já que eles pagam mais para trazer insumos para propriedades e escoar os grãos que colhem.

Máquinas de produtores consertam estrada no cerrado

O trabalho iniciado agora de melhoria da Transcerrado (PI-397), realizado pelos agricultores vai da Fazenda Laranjeira (Currais) até na entrada da Nova Santa Rosa (Uruçuí-PI), passando também pelo trecho do município de Palmeira do Piauí.

O agricultor Altair Fianco diz que não é possível determinar o custo financeiro dos trabalhos de recuperação das estradas, mas alerta que não é pouco dinheiro que os produtores estão aplicando. “Muito difícil quantificar, mas considere que são cerca de 140 km, com uso de máquinas pesadas, de pessoal e combustível”, diz Altair Fianco, que lastima o fato de não haver um trabalho de recuperação prévia da malha viária da região, que nesta no deverá produzir cerca de 4 milhões de toneladas de grãos.

Fianco diz que os produtores de grãos perderam por completo a confiança no governo e esperança de que possam ser feitas obras viárias que garantam menor custo de produção e escoamento na safra. “Não temos esperança nem mesmo em operações tapa-buracos”, diz;

O lamaçal toma conta das rodovias na região

O governo trabalha com a ideia de uma Parceria Público-Privada para a Transcerrado, mas essa não será a primeira tentativa para fazer a estrada nessa modalidade de exploração. Os agricultores estão um tanto quanto céticos sobre o êxito de uma PPP, porque a proposta está distante da realidade econômico-financeira da região.

Seja como for, Altair Fianco informou que haverá uma reunião com produtores para discutir a questão de PPP ou concessão da rodovia. Será na Nova Santa Rosa, no dia 9 de maio.

Assista ao vídeo abaixo:

O Piauí tem a segunda maior desigualdade de renda no país, diz o IBGE Horta contribuirá para melhoria da alimentação de crianças com câncer