1. Blogs
  2. Murilo Noleto
  3. A rua vai roncar?
Publicidade

A rua vai roncar?

Amanhã, último domingo do mês de maio, poderá ser um verdadeiro divisor de águas da política nacional, caso as ruas e avenidas recebam uma multidão em atos de apoio ao Presidente Jair Bolsonaro.

Essa manifestação, ansiosamente aguardada pelo mundo político, terá como objetivo único fazer um contraponto às grandes manifestações ocorridas em mais de duzentas cidades brasileiras, em protesto contra o anúncio pelo Ministério da Educação do corte de trinta por cento dos recursos destinados às Universidades Federais de todo o país.

O governo de Jair Bolsonaro, com certeza, percebeu que naquela manifestação não havia só militância partidária das agremiações de esquerda (PT, PC do B, PSOL, etc, etc), bem como uma parcela significativa da população foi às ruas, desiludida que está, pelas decisões que deveriam ter sido tomadas como políticas de governo, principalmente na área econômica, que pudessem diminuir essa onda crescente de desemprego e esse sentimento de desesperança que acreditamos ter tomado conta de corações e mentes desse país continente.

Aguardemos, pois, esse domingo que poderá ser decisivo para a política nacional, isto é, seja ratificando o estupendo apoio eleitoral que as urnas o concederam ou simplesmente um verdadeiro cantos dos cisnes de um governo onde a balbúrdia tem predominado. 

É isso.

Amanhã, último domingo do mês de maio, poderá ser um verdadeiro divisor de águas da política nacional, caso as ruas e avenidas recebam uma multidão em atos de apoio ao Presidente Jair Bolsonaro.

Essa manifestação, ansiosamente aguardada pelo mundo político, terá como objetivo único fazer um contraponto às grandes manifestações ocorridas em mais de duzentas cidades brasileiras, em protesto contra o anúncio pelo Ministério da Educação do corte de trinta por cento dos recursos destinados às Universidades Federais de todo o país.

O governo de Jair Bolsonaro, com certeza, percebeu que naquela manifestação não havia só militância partidária das agremiações de esquerda (PT, PC do B, PSOL, etc, etc), bem como uma parcela significativa da população foi às ruas, desiludida que está, pelas decisões que deveriam ter sido tomadas como políticas de governo, principalmente na área econômica, que pudessem diminuir essa onda crescente de desemprego e esse sentimento de desesperança que acreditamos ter tomado conta de corações e mentes desse país continente.

Aguardemos, pois, esse domingo que poderá ser decisivo para a política nacional, isto é, seja ratificando o estupendo apoio eleitoral que as urnas o concederam ou simplesmente um verdadeiro cantos dos cisnes de um governo onde a balbúrdia tem predominado. 

É isso.

Até helicóptero pode ser comprado com dinheiro do Fundo eleitoral Disciplina indispensável