1. Blogs
  2. Murilo Noleto
  3. O Itararé de Wellington Dias e Jair Bolsonaro
Publicidade

O Itararé de Wellington Dias e Jair Bolsonaro

Não estamos a tratar aqui da famosa batalha de Itararé, aquela que não houve, embora faça parte da nossa historiografia. 

Como houve um silêncio sepulcral de toda a imprensa sobre a ida do governador a Parnaíba na última quarta-feira, quando da visita do presidente Jair Bolsonaro que, após o “vai não vai”, acabou “fondo”, como diz a turba, ficamos a imaginar o que aconteceu com o governador Wellington Dias nos poucos minutos que ficou em Parnaíba. 

Que jatinho governamental tenha pousado no aeroporto João Silva Filho de Parnaíba, isso é fato. 

Como não há registro documental de nenhuma espécie, passamos a elucubrar:

O Governador chegou a desembarcar e ficou aguardando a chegada do avião presidencial em alguma dependência do aeroporto?

Ou, ao ser informado da “calorosa” recepção que os adeptos do presidente Jair Bolsonaro estavam a fazer com os políticos piauienses, quando vislumbrados pela multidão que se aglomerava à frente do aeroporto, Wellington Dias preferiu ficar retido dentro do jatinho e em seguida retornado à Teresina? 

Se nem ao pé da escada do avião presidencial Wellington Dias se postou, para dar as boas vindas ao Estado que governa por mais de uma década ao presidente da República, Wellington Dias foi descortês ao extremo.

Quanto ao subir no palanque para ser achincalhado pela patuleia e pelo próprio presidente, como ocorreu com o senador Ciro Nogueira, Wellington Dias agiu sabiamente. 

Ele é o governador de todos os piauienses, assim como Bolsonaro o é de todos os brasileiros, embora tenhamos o direito de discordar de suas ações e omissões. 

É isso.

Não estamos a tratar aqui da famosa batalha de Itararé, aquela que não houve, embora faça parte da nossa historiografia. 

Como houve um silêncio sepulcral de toda a imprensa sobre a ida do governador a Parnaíba na última quarta-feira, quando da visita do presidente Jair Bolsonaro que, após o “vai não vai”, acabou “fondo”, como diz a turba, ficamos a imaginar o que aconteceu com o governador Wellington Dias nos poucos minutos que ficou em Parnaíba. 

Que jatinho governamental tenha pousado no aeroporto João Silva Filho de Parnaíba, isso é fato. 

Como não há registro documental de nenhuma espécie, passamos a elucubrar:

O Governador chegou a desembarcar e ficou aguardando a chegada do avião presidencial em alguma dependência do aeroporto?

Ou, ao ser informado da “calorosa” recepção que os adeptos do presidente Jair Bolsonaro estavam a fazer com os políticos piauienses, quando vislumbrados pela multidão que se aglomerava à frente do aeroporto, Wellington Dias preferiu ficar retido dentro do jatinho e em seguida retornado à Teresina? 

Se nem ao pé da escada do avião presidencial Wellington Dias se postou, para dar as boas vindas ao Estado que governa por mais de uma década ao presidente da República, Wellington Dias foi descortês ao extremo.

Quanto ao subir no palanque para ser achincalhado pela patuleia e pelo próprio presidente, como ocorreu com o senador Ciro Nogueira, Wellington Dias agiu sabiamente. 

Ele é o governador de todos os piauienses, assim como Bolsonaro o é de todos os brasileiros, embora tenhamos o direito de discordar de suas ações e omissões. 

É isso.

Até helicóptero pode ser comprado com dinheiro do Fundo eleitoral Barafunda