1. Blogs
  2. Murilo Noleto
  3. Venezuelanos em Teresina
Publicidade

Venezuelanos em Teresina

 
Há mais de seis meses, chegaram à Teresina uma leva de mais de cento e vinte cinco índios venezuelanos, habitantes da fronteira do Brasil com o país governado por Nicolas Maduro, com perspectivas de aqui ficarem para todo o sempre.

Algumas particularidades desses seres humanos chamam atenção,  já que parecem incapazes de desempenhar qualquer tipo de trabalho. 

As mulheres indígenas venezuelanas são mandadas por seus companheiros a se postarem em sinais de trânsito de ruas e avenidas, acompanhadas de crianças menores de idade ficando a esmolar o dia todo.

São cenas degradantes, pois ao utilizarem crianças para sensibilizarem a população, o fazem reiteradamente, apesar de já terem sido admoestadas sobre essa prática horrenda.

Ontem mesmo no PITV segunda edição, da TV Clube, assistimos a uma cena inusitada em relação aos índios venezuelanos.

As imagens da reportagem feitas em um abrigo na zona norte da cidade, mostrou uma pessoa entregando duas caixas de frangos,  pesando no mínimo cinquenta quilos e alguns desses índios reclamando em tom desaforado por a doação feita pela Prefeitura de Teresina ter chegado após o meio-dia. Não é hilário ?

Diante de tanta pobreza existente na periferia da capital do Estado do Piauí, onde já presenciamos em matérias de TVs, mães de família chorando por não terem como alimentar os seus filhos, abrindo as geladeiras e mostrando somente água, ficamos a matutar  como essas mães gostariam de pelo menos ter um frango a cada dia para fazer chegar à boca dos seus filhos, essa rica fonte de proteínas.

Aliás, esses índios venezuelanos, além de se recusarem a exercer qualquer tipo de atividade laboral, ainda se recusam a receber doação de alimentos que não fazem parte da dieta alimentar que tinham no seu país de origem.

A solidariedade é uma ação imprescindível entre as civilizações existentes mundo afora, agora, somente a Prefeitura de Teresina ficar instada a amparar esses venezuelanos e o Estado do Piauí, com um governo solidário ao regime de Nícolas Maduro, assistindo de braços cruzados a tudo isso, é lamentável.

O governo de Wellington Dias têm por obrigação, através de suas secretarias de assistência social, cerrar fileiras ao lado da prefeitura de Teresina e contribuir com a maior parte dos dispêndios financeiros, custeados até aqui somente pela administração Firmino Filho. 

É isso.

 
Há mais de seis meses, chegaram à Teresina uma leva de mais de cento e vinte cinco índios venezuelanos, habitantes da fronteira do Brasil com o país governado por Nicolas Maduro, com perspectivas de aqui ficarem para todo o sempre.

Algumas particularidades desses seres humanos chamam atenção,  já que parecem incapazes de desempenhar qualquer tipo de trabalho. 

As mulheres indígenas venezuelanas são mandadas por seus companheiros a se postarem em sinais de trânsito de ruas e avenidas, acompanhadas de crianças menores de idade ficando a esmolar o dia todo.

São cenas degradantes, pois ao utilizarem crianças para sensibilizarem a população, o fazem reiteradamente, apesar de já terem sido admoestadas sobre essa prática horrenda.

Ontem mesmo no PITV segunda edição, da TV Clube, assistimos a uma cena inusitada em relação aos índios venezuelanos.

As imagens da reportagem feitas em um abrigo na zona norte da cidade, mostrou uma pessoa entregando duas caixas de frangos,  pesando no mínimo cinquenta quilos e alguns desses índios reclamando em tom desaforado por a doação feita pela Prefeitura de Teresina ter chegado após o meio-dia. Não é hilário ?

Diante de tanta pobreza existente na periferia da capital do Estado do Piauí, onde já presenciamos em matérias de TVs, mães de família chorando por não terem como alimentar os seus filhos, abrindo as geladeiras e mostrando somente água, ficamos a matutar  como essas mães gostariam de pelo menos ter um frango a cada dia para fazer chegar à boca dos seus filhos, essa rica fonte de proteínas.

Aliás, esses índios venezuelanos, além de se recusarem a exercer qualquer tipo de atividade laboral, ainda se recusam a receber doação de alimentos que não fazem parte da dieta alimentar que tinham no seu país de origem.

A solidariedade é uma ação imprescindível entre as civilizações existentes mundo afora, agora, somente a Prefeitura de Teresina ficar instada a amparar esses venezuelanos e o Estado do Piauí, com um governo solidário ao regime de Nícolas Maduro, assistindo de braços cruzados a tudo isso, é lamentável.

O governo de Wellington Dias têm por obrigação, através de suas secretarias de assistência social, cerrar fileiras ao lado da prefeitura de Teresina e contribuir com a maior parte dos dispêndios financeiros, custeados até aqui somente pela administração Firmino Filho. 

É isso.

Candidaturas avulsas, a reforma A Receita Federal na berlinda