Publicidade

Patéticos

Ao ser veiculado na última quarta-feira, o “rompimento” político entre dois dos principais líderes do Estado do Piauí, repercutimos nesse espaço nominando tal acontecimento como uma despudorada patranha.

Naquele texto ao qual denominamos de “Rompimento?” questionávamos sobre as centenas, quiçá, milhares de cargos em comissão colocados na folha de pagamentos do Estado do Piauí pelo senador Ciro Nogueira, apoiador decisivo nas eleições de 2018, que veio a guindar Wellington Dias para o exercício do seu quarto mandato. 

Ciro Nogueira pediria a demissão de todos os comissionados já que, a partir daquela data, deixaria  de cerrar fileiras ao lado de Wellington Dias? 

Já no dia de ontem, esses dois próceres da política local foram ao proscênio deitar falação, cada qual, querendo suplantar o outro, em termos de patetices. 

Primeiro, ao gravar uma live, reproduzida nas TVs locais, Wellington Dias, lamentou o “rompimento” com Ciro, mas não deixando de tecer elogios ao senador presidente nacional dos Progressistas. Risível. 

Na mesma manhã, Ciro Nogueira grava em Brasília e envia às TVs locais a sua live no mesmo diapasão, dizendo que continuará ajudando o governo de Wellington Dias, tendo,  inclusive- como principal apoiador do governo Bolsonaro- aberto um canal de diálogo entre o governo petista de Wellington Dias e a administração  do presidente Bolsonaro. Risível e patético.

O que realmente está por trás desse enredo de mal gosto para os pagadores de impostos do Estado do Piauí digerirem, ad nauseam, tentaremos esmiuçá-lo no texto de amanhã. 

É isso.

Ao ser veiculado na última quarta-feira, o “rompimento” político entre dois dos principais líderes do Estado do Piauí, repercutimos nesse espaço nominando tal acontecimento como uma despudorada patranha.

Naquele texto ao qual denominamos de “Rompimento?” questionávamos sobre as centenas, quiçá, milhares de cargos em comissão colocados na folha de pagamentos do Estado do Piauí pelo senador Ciro Nogueira, apoiador decisivo nas eleições de 2018, que veio a guindar Wellington Dias para o exercício do seu quarto mandato. 

Ciro Nogueira pediria a demissão de todos os comissionados já que, a partir daquela data, deixaria  de cerrar fileiras ao lado de Wellington Dias? 

Já no dia de ontem, esses dois próceres da política local foram ao proscênio deitar falação, cada qual, querendo suplantar o outro, em termos de patetices. 

Primeiro, ao gravar uma live, reproduzida nas TVs locais, Wellington Dias, lamentou o “rompimento” com Ciro, mas não deixando de tecer elogios ao senador presidente nacional dos Progressistas. Risível. 

Na mesma manhã, Ciro Nogueira grava em Brasília e envia às TVs locais a sua live no mesmo diapasão, dizendo que continuará ajudando o governo de Wellington Dias, tendo,  inclusive- como principal apoiador do governo Bolsonaro- aberto um canal de diálogo entre o governo petista de Wellington Dias e a administração  do presidente Bolsonaro. Risível e patético.

O que realmente está por trás desse enredo de mal gosto para os pagadores de impostos do Estado do Piauí digerirem, ad nauseam, tentaremos esmiuçá-lo no texto de amanhã. 

É isso.

Fux, o desprestigiado Rompimento?