1. Colunas
  2. Arimatéia Azevedo
  3. É contingenciamento, ora!
Publicidade

É contingenciamento, ora!

O governo Bolsonaro é ruim de doer quando se trata de comunicação e o exemplo claro disso é o fato de que um ato rotineiro de execução orçamentária foi usado – e muito bem usado – pela oposição para fazer a rua rugir com força em direção ao Planalto. O contingenciamento de recursos para a educação e outras áreas do governo é um ato rotineiro, tanto que, de modo reativo, o governo depois soltou informações sobre atos semelhantes nas gestões de Lula, Dilma e Temer. Tarde demais, porque o estrago já estava feito e numa guerra, valem mais as narrativas que os fatos em si. Na guerra, a primeira vítima é a verdade. A oposição vence de goleada a narrativa de corte de verbas, quando se sabe que ou eles inexistem ou se tratam de atos de contingenciamento muito usualmente feitos em qualquer governo. Ora, então resta provado que o governo errou e muito na condução dessa situação. Primeiro, porque deixou que o ministro da área, o senhor Abraham Weintraub, informasse sobre o contingenciamento – que ele anunciou como corte punitivo às universidades que faziam “balbúrdia”. Besteira grossa porque, diante da reação negativa, o ministro lançou a “real”, como dizem os jovens, e anunciou um contingenciamento de 30% nos orçamentos das instituições, sem antes se reunir com os reitores, desrespeitando a autonomia universitária. O resultado disso é que um ato administrativo que rotineiramente é usado pelo governo federal, alimentou a oposição. Pior para o governo, que deveria saber de algo ainda mais simples: não é o ministro da área afetada por cortes que o anuncia, mas o gestor das finanças. Contingenciamento, cortes, remanejamento de verbas orçamentárias ou o que quer que seja é da conta do ministro da Economia. Os demais ministros atingidos pelo corte fazem o que é devido nessas horas: defendem ou fingem que defendem suas pastas e orçamentos e o mundo segue tranquilo, como é de praxe. Mas não no governo Bolsonaro, que se não tiver uma crise para chamar de sua, logo trata de inventá-la.

 O alemão Uwe Weibrecht, é nomeado diretor da Secretaria do Meio Ambiente no Piauí (Foto: Divulgação)

Obediência

Por força de decisão judicial – e somente por isso – o governo estadual concedeu a promoção e progressão de servidores da Secretaria da Saúde. 
Foram favorecidos com a decisão 280 técnicos em enfermagem, que devem ganhar um pouco mais a partir de agora.

Sem esgoto

A Agespisa, acatando orientação da Codevasf, resolveu anular uma licitação realizada ano passado para contratar empresa responsável por obra de sistema de esgoto na cidade de Amarante. A empresa vencedora da licitação tem direito a contestar a decisão.

Tragédia

A Empresa de Gestão de Recursos (Emgerpi) contratou uma empresa para descupinização de suas instalações. Para isso gastou R$ 13.680,00. 
Ainda bem que o trabalho é só para eliminar cupins, porque se fosse também para dar cabo de lagartas, poderia haver uma grande mortandade de pessoas por lá.

Meu lugar

Jacinto Teles, ex-vereador de Teresina e ex-dirigente sindical, foi nomeado diretor da Escola Penitenciária da Secretaria de Justiça. 
Foi um dos 20 nomeados para cargos em comissão na pasta, semana passada.

O retorno

Preso em agosto de 2018, acusado de malfeitorias na Semar, Carlos Antônio Moura Fé, voltou ao posto de superintendente de Meio Ambiente, da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. 
Sua nomeação foi publicada na edição de 15 de maio do Diário Oficial do Estado.

Memória

Moura Fé foi preso dentro da “Operação Natureza”, que investigou corrupção ativa, corrupção passiva, associação criminosa, advocacia administrativa, além de crimes ambientais, com prejuízos avaliados em mais de R$ 3 milhões.

Presos 

Na época, além de Moura Fé, foram presos Fabrício Napoleão Andrade, Carlos Alberto do Prado Tenório, Tiago Maximiano Junqueira, Ivoneta Gontijo dos Santos e César Luís Barros dos Martírio Moura Fé (empresários). Segundo a polícia, este último empresário é primo do superintendente de Meio Ambiente da Semar.

Inquérito de mentira

Mas como o Ministério Público devolveu o inquérito por considerar uma peça mal feita e, sem provas, portanto, não fez qualquer denúncia, os envolvidos não podem ser acusados de nada. 
Aliás, devem reparar o estrago feito a honra com um bom processo contra o Estado. 

Reversão 

E o estado, por sua vez, deve reverter a ação contra um a um dos ditos policiais que se meteram nessa aventura policialesca. 

Alemão

Outro nomeado para a Semar é o alemão Uwe Weibrecht, que passa a ocupar a Diretoria da Unidade de Parques e Florestas. Weibrecht tem atuado em várias frentes, tendo inclusive trabalhado para a implantação de uma clínica na cidade de Picos.
Esse, seguramente é da entrega da deputada Margarete, que a fez ir à Alemanha quando ele presidia a ONG ProBrasil.

Cobra Choca

Mais um Cobra Choca vai ser candidato a vereador, mas desta feita não será em Teresina, onde José Benone de Sousa Paiva disputou uma vaga na Câmara Municipal em 2012. Desta vez, o Cobra Choca candidato é de Uruçuí, o sargento da reserva da PM, A. Fernandes, que tem até um site com um apelido.

Oposição

O Cobra Choca de Uruçuí poderia iniciar sua campanha denunciando o prefeito da cidade, Wagner Coelho, as razões de pagar R$ 10.757,08 mensais à empresa Sousa Campelo Transportes pelo aluguel de uma picape Hillux. Em um ano, o aluguel do carro sai por 129.084,95. 
É mais que o valor de carro semelhante zero KM.

Ping-Pong 

Potós independentes

Conta a cantora Carol Costa que na semana passada teve uma conversa com o filho dela, Felipe, depois de o menino ter sido pela terceira vez vítima dos potós:

Felipe: “Mãe, eu queria matar o rei dos potós.”
Carol: “Mas, Felipe, não existe o rei dos potós!”
Felipe (muito admirado na existência de um líder para insetos tão perigosos): “Quer dizer que eles fazem o que querem?”

Originalmente publicado em 21 de julho de 2014.

Expressas

A Defensoria Pública do Piauí estuda a instalação de painéis fotovoltaicos em sua sede para reduzir a conta de energia.

A Federação Piauiense de Capoeira promove dia 1º de junho a eleição de sua nova diretoria. Vai ser no Memorial Esperança García.

Humberto Coelho segue como o diretor da Fundação Antares, que mantém as emissoras de rádio e TV públicas do Piauí.

O governo Bolsonaro é ruim de doer quando se trata de comunicação e o exemplo claro disso é o fato de que um ato rotineiro de execução orçamentária foi usado – e muito bem usado – pela oposição para fazer a rua rugir com força em direção ao Planalto. O contingenciamento de recursos para a educação e outras áreas do governo é um ato rotineiro, tanto que, de modo reativo, o governo depois soltou informações sobre atos semelhantes nas gestões de Lula, Dilma e Temer. Tarde demais, porque o estrago já estava feito e numa guerra, valem mais as narrativas que os fatos em si. Na guerra, a primeira vítima é a verdade. A oposição vence de goleada a narrativa de corte de verbas, quando se sabe que ou eles inexistem ou se tratam de atos de contingenciamento muito usualmente feitos em qualquer governo. Ora, então resta provado que o governo errou e muito na condução dessa situação. Primeiro, porque deixou que o ministro da área, o senhor Abraham Weintraub, informasse sobre o contingenciamento – que ele anunciou como corte punitivo às universidades que faziam “balbúrdia”. Besteira grossa porque, diante da reação negativa, o ministro lançou a “real”, como dizem os jovens, e anunciou um contingenciamento de 30% nos orçamentos das instituições, sem antes se reunir com os reitores, desrespeitando a autonomia universitária. O resultado disso é que um ato administrativo que rotineiramente é usado pelo governo federal, alimentou a oposição. Pior para o governo, que deveria saber de algo ainda mais simples: não é o ministro da área afetada por cortes que o anuncia, mas o gestor das finanças. Contingenciamento, cortes, remanejamento de verbas orçamentárias ou o que quer que seja é da conta do ministro da Economia. Os demais ministros atingidos pelo corte fazem o que é devido nessas horas: defendem ou fingem que defendem suas pastas e orçamentos e o mundo segue tranquilo, como é de praxe. Mas não no governo Bolsonaro, que se não tiver uma crise para chamar de sua, logo trata de inventá-la.

 O alemão Uwe Weibrecht, é nomeado diretor da Secretaria do Meio Ambiente no Piauí (Foto: Divulgação)

Obediência

Por força de decisão judicial – e somente por isso – o governo estadual concedeu a promoção e progressão de servidores da Secretaria da Saúde. 
Foram favorecidos com a decisão 280 técnicos em enfermagem, que devem ganhar um pouco mais a partir de agora.

Sem esgoto

A Agespisa, acatando orientação da Codevasf, resolveu anular uma licitação realizada ano passado para contratar empresa responsável por obra de sistema de esgoto na cidade de Amarante. A empresa vencedora da licitação tem direito a contestar a decisão.

Tragédia

A Empresa de Gestão de Recursos (Emgerpi) contratou uma empresa para descupinização de suas instalações. Para isso gastou R$ 13.680,00. 
Ainda bem que o trabalho é só para eliminar cupins, porque se fosse também para dar cabo de lagartas, poderia haver uma grande mortandade de pessoas por lá.

Meu lugar

Jacinto Teles, ex-vereador de Teresina e ex-dirigente sindical, foi nomeado diretor da Escola Penitenciária da Secretaria de Justiça. 
Foi um dos 20 nomeados para cargos em comissão na pasta, semana passada.

O retorno

Preso em agosto de 2018, acusado de malfeitorias na Semar, Carlos Antônio Moura Fé, voltou ao posto de superintendente de Meio Ambiente, da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. 
Sua nomeação foi publicada na edição de 15 de maio do Diário Oficial do Estado.

Memória

Moura Fé foi preso dentro da “Operação Natureza”, que investigou corrupção ativa, corrupção passiva, associação criminosa, advocacia administrativa, além de crimes ambientais, com prejuízos avaliados em mais de R$ 3 milhões.

Presos 

Na época, além de Moura Fé, foram presos Fabrício Napoleão Andrade, Carlos Alberto do Prado Tenório, Tiago Maximiano Junqueira, Ivoneta Gontijo dos Santos e César Luís Barros dos Martírio Moura Fé (empresários). Segundo a polícia, este último empresário é primo do superintendente de Meio Ambiente da Semar.

Inquérito de mentira

Mas como o Ministério Público devolveu o inquérito por considerar uma peça mal feita e, sem provas, portanto, não fez qualquer denúncia, os envolvidos não podem ser acusados de nada. 
Aliás, devem reparar o estrago feito a honra com um bom processo contra o Estado. 

Reversão 

E o estado, por sua vez, deve reverter a ação contra um a um dos ditos policiais que se meteram nessa aventura policialesca. 

Alemão

Outro nomeado para a Semar é o alemão Uwe Weibrecht, que passa a ocupar a Diretoria da Unidade de Parques e Florestas. Weibrecht tem atuado em várias frentes, tendo inclusive trabalhado para a implantação de uma clínica na cidade de Picos.
Esse, seguramente é da entrega da deputada Margarete, que a fez ir à Alemanha quando ele presidia a ONG ProBrasil.

Cobra Choca

Mais um Cobra Choca vai ser candidato a vereador, mas desta feita não será em Teresina, onde José Benone de Sousa Paiva disputou uma vaga na Câmara Municipal em 2012. Desta vez, o Cobra Choca candidato é de Uruçuí, o sargento da reserva da PM, A. Fernandes, que tem até um site com um apelido.

Oposição

O Cobra Choca de Uruçuí poderia iniciar sua campanha denunciando o prefeito da cidade, Wagner Coelho, as razões de pagar R$ 10.757,08 mensais à empresa Sousa Campelo Transportes pelo aluguel de uma picape Hillux. Em um ano, o aluguel do carro sai por 129.084,95. 
É mais que o valor de carro semelhante zero KM.

Ping-Pong 

Potós independentes

Conta a cantora Carol Costa que na semana passada teve uma conversa com o filho dela, Felipe, depois de o menino ter sido pela terceira vez vítima dos potós:

Felipe: “Mãe, eu queria matar o rei dos potós.”
Carol: “Mas, Felipe, não existe o rei dos potós!”
Felipe (muito admirado na existência de um líder para insetos tão perigosos): “Quer dizer que eles fazem o que querem?”

Originalmente publicado em 21 de julho de 2014.

Expressas

A Defensoria Pública do Piauí estuda a instalação de painéis fotovoltaicos em sua sede para reduzir a conta de energia.

A Federação Piauiense de Capoeira promove dia 1º de junho a eleição de sua nova diretoria. Vai ser no Memorial Esperança García.

Humberto Coelho segue como o diretor da Fundação Antares, que mantém as emissoras de rádio e TV públicas do Piauí.

As lições de Valença A palavra é compromisso