1. Editorias
  2. Clima&Tempo
  3. Piauí é estado nordestino que menos teve avanço nos indicadores de seca grave em 2019
Publicidade

Piauí é estado nordestino que menos teve avanço nos indicadores de seca grave em 2019

A previsão é de que o cenário mude nos próximos meses

O Piauí foi o estado da região Nordeste que menos apresentou avanço dos indicadores de seca grave e severa em 2019. A informação é do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) e foi divulgada nesta semana.

Os dados divulgados são referentes ao mês de junho (Foto: divulgação/FNE)

De acordo com levantamento feito pelo Centro, o fato se de deve ao bom período chuvoso em boa parte do estado neste ano, que garantiu uma boa performance dos reservatórios de água piauienses. A previsão, no entanto, é de que o cenário mude nos próximos meses devido à dinâmica climatológica.

“A maior parte das chuvas que caiu na quadra chuvosa, que é de janeiro a abril, ela ficou concentrada no que chamamos de parte Norte do Nordeste. Então choveu ali do Rio Grande do Norte até o estado do Maranhão. Então, essa faixa foi a privilegiada, porque a Zona de Convergência Intertropical estava atuando muito nessa faixa, então aqui no Piauí, por exemplo, do litoral, até a grande Teresina, os volumes de chuvas ficaram entre normal e acima do normal. Isso tem um impacto [positivo] porque temos aí muita água infiltrando e sendo absorvida pelo solo durante muito tempo”, explica Werton Rios, climatologista e professor de Geografia da Universidade Estadual do Piauí.

O climatologista Werton Rios (Foto: Portal AZ)

O Piauí superou, por exemplo, a Bahia, Sergipe, Aracaju, Rio Grande do Norte, Pernambuco no volume de água armazenada. “Esse quantitativo [de chuvas] aumentou o volume dos reservatórios, não é que ele sanou o problema de abastecimento da população. Mas ele manteve os reservatórios do Piauí com o volume proporcionalmente acima dos demais estados nordestinos”, acrescentou o climatologista.

Os dados divulgados pela Cemaden são referentes ao último mês de junho.

Chuvas

A previsão para 2020 é de chuvas em abundância. Werton garante que, se os índices pluviométricos no ano que vem não forem melhores, ficarão no mesmo patamar dos registrados em 2019. 

"O que se está se ventilando a nível nacional e internacional? É o enfraquecimento do El Niño até o final do ano. Se essa tese se confirmar, teremos o que chamamos de ano neutro, ou seja, a próxima temporada chuvosa deverá ser muito parecida com 2019. Ou seja, se não superarmos 2019, ficaremos no mesmo patamar", afirmou o especialista. 

O El Niño é caracterizado por um aquecimento das águas superficiais do Oceano Pacífico Tropical. Com isso, ele altera os padrões de vento, em nível mundial, afetando, consequentemente, os regimes de chuva em regiões tropicais, por exemplo.

O Piauí foi o estado da região Nordeste que menos apresentou avanço dos indicadores de seca grave e severa em 2019. A informação é do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) e foi divulgada nesta semana.

Os dados divulgados são referentes ao mês de junho (Foto: divulgação/FNE)

De acordo com levantamento feito pelo Centro, o fato se de deve ao bom período chuvoso em boa parte do estado neste ano, que garantiu uma boa performance dos reservatórios de água piauienses. A previsão, no entanto, é de que o cenário mude nos próximos meses devido à dinâmica climatológica.

“A maior parte das chuvas que caiu na quadra chuvosa, que é de janeiro a abril, ela ficou concentrada no que chamamos de parte Norte do Nordeste. Então choveu ali do Rio Grande do Norte até o estado do Maranhão. Então, essa faixa foi a privilegiada, porque a Zona de Convergência Intertropical estava atuando muito nessa faixa, então aqui no Piauí, por exemplo, do litoral, até a grande Teresina, os volumes de chuvas ficaram entre normal e acima do normal. Isso tem um impacto [positivo] porque temos aí muita água infiltrando e sendo absorvida pelo solo durante muito tempo”, explica Werton Rios, climatologista e professor de Geografia da Universidade Estadual do Piauí.

O climatologista Werton Rios (Foto: Portal AZ)

O Piauí superou, por exemplo, a Bahia, Sergipe, Aracaju, Rio Grande do Norte, Pernambuco no volume de água armazenada. “Esse quantitativo [de chuvas] aumentou o volume dos reservatórios, não é que ele sanou o problema de abastecimento da população. Mas ele manteve os reservatórios do Piauí com o volume proporcionalmente acima dos demais estados nordestinos”, acrescentou o climatologista.

Os dados divulgados pela Cemaden são referentes ao último mês de junho.

Chuvas

A previsão para 2020 é de chuvas em abundância. Werton garante que, se os índices pluviométricos no ano que vem não forem melhores, ficarão no mesmo patamar dos registrados em 2019. 

"O que se está se ventilando a nível nacional e internacional? É o enfraquecimento do El Niño até o final do ano. Se essa tese se confirmar, teremos o que chamamos de ano neutro, ou seja, a próxima temporada chuvosa deverá ser muito parecida com 2019. Ou seja, se não superarmos 2019, ficaremos no mesmo patamar", afirmou o especialista. 

O El Niño é caracterizado por um aquecimento das águas superficiais do Oceano Pacífico Tropical. Com isso, ele altera os padrões de vento, em nível mundial, afetando, consequentemente, os regimes de chuva em regiões tropicais, por exemplo.