1. Editorias
  2. Clima&Tempo
  3. Corpo de Bombeiros alerta sobre cuidados com incêndios e queimadas no Piauí
Publicidade

Corpo de Bombeiros alerta sobre cuidados com incêndios e queimadas no Piauí

Nesse período do ano as temperaturas ficam mais elevadas e o tempo mais seco no estado

Com a chegada do período do ano em que as temperaturas ficam mais elevadas e o tempo mais seco no Piauí, o número de queimadas e incêndios costuma aumentar. Por conta disso, o Corpo de Bombeiros alerta sobre os cuidados que devem ser tomados para evitar graves incidentes.

De acordo com a major Ana Cléia Diniz, do Corpo de Bombeiros, a recomendação principal é que a população evite atear fogo em qualquer local. As altas temperaturas registradas no últimos meses, além da umidade relativa do ar, contribuem para a rápida propagação do fogo. 

Só este ano, o Piauí já registra 382 focos de queimadas em áreas de terrenos baldios e vegetação (Foto: Governo do Estado)

“A grande maioria dos incêndios em vegetação são causados pela ação humana, pela falta de conhecimento e pela prática de hábitos desnecessários, como a queima do lixo para limpar a propriedade. Nesta época do ano, qualquer fagulha levada pelo vento pode provocar um grande incêndio. A limpeza dos terrenos deve ser feita durante todo o ano, uma queima não pode substituir as capinas periódicas para retirada da vegetação”, afirma.

Segundo o Estado, um levantamento realizado pelo Programa Queimadas, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), aponta que, só este ano, o Piauí já registra 382 focos de queimadas em áreas de terrenos baldios e vegetação. Isso representa um aumento de 14% em relação ao mesmo período de 2018, quando foram identificados 336 focos. O número já é o maior contabilizado pelo Inpe nos últimos cinco anos para o estado. A média em 2019 tem sido de, pelo menos, 2,3 ocorrências por dia.

A major explica que as pessoas aproveitam o período de estiagem e vento forte para realizar as queimadas e recomenda acionar as autoridades competentes em caso de necessidade. “Nesse período o cuidado deve ser redobrado e uma prática muito comum no estado é a queimada de roças. Caso seja realmente necessário realizar uma queimada, a orientação é que o dono da propriedade peça autorização aos órgãos ambientais do estado e município para realizar uma queimada controlada”, ressalta. Outra dica do Corpo de Bombeiros é a abertura de “aceiros”, faixas em que a vegetação é retirada para impedir que o fogo de queimadas e incêndios se propague. Os aceiros podem ser feitos para preservar uma área (plantações, residências, estradas, áreas de preservação), antes do incêndio ou para evitar que ele se alastre quando já estiver começado.

O Corpo de Bombeiros recomenda ainda que nesse período do ano que os terrenos baldios sejam mantidos limpos, sem entulhos e que tão logo a pessoa perceba algum foco, acione imediatamente o Corpo de Bombeiros pelo telefone 193. Esse alerta também se estende às zonas rurais.

“Quem quiser ajudar para evitar um incêndio não deve colocar fogo em áreas rurais e nem lançar guimbas de cigarro pelas janelas dos automóveis. A população precisa se conscientizar que nesta época do ano os ventos fortes ajudam na propagação do fogo e um descuido pode ser perigoso”, reitera Ana Cléia.

Ela orienta ainda sobre os cuidados a tomar em caso de incêndio. "Se manter o mais distante possível para que não inale a fumaça, que pode causar tonturas e desmaios, além de manter a calma e aguardar os bombeiros”.

É importante lembrar que queimadas na vegetação causam danos à biodiversidade e é crime, podendo ser enquadrada na Lei n.º 9.605 de 12 de fevereiro de 1998 (Lei de Crimes Ambientais), onde constam penalidades contra a fauna, a flora, poluição, ordenamento urbano e patrimônio cultural.

Telefones úteis

193 (Corpo de Bombeiros) - para relatar ocorrência de focos de incêndio

191 (Polícia Rodoviária Federal) - para relatar acidentes e focos de incêndio em rodovias

Com a chegada do período do ano em que as temperaturas ficam mais elevadas e o tempo mais seco no Piauí, o número de queimadas e incêndios costuma aumentar. Por conta disso, o Corpo de Bombeiros alerta sobre os cuidados que devem ser tomados para evitar graves incidentes.

De acordo com a major Ana Cléia Diniz, do Corpo de Bombeiros, a recomendação principal é que a população evite atear fogo em qualquer local. As altas temperaturas registradas no últimos meses, além da umidade relativa do ar, contribuem para a rápida propagação do fogo. 

Só este ano, o Piauí já registra 382 focos de queimadas em áreas de terrenos baldios e vegetação (Foto: Governo do Estado)

“A grande maioria dos incêndios em vegetação são causados pela ação humana, pela falta de conhecimento e pela prática de hábitos desnecessários, como a queima do lixo para limpar a propriedade. Nesta época do ano, qualquer fagulha levada pelo vento pode provocar um grande incêndio. A limpeza dos terrenos deve ser feita durante todo o ano, uma queima não pode substituir as capinas periódicas para retirada da vegetação”, afirma.

Segundo o Estado, um levantamento realizado pelo Programa Queimadas, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), aponta que, só este ano, o Piauí já registra 382 focos de queimadas em áreas de terrenos baldios e vegetação. Isso representa um aumento de 14% em relação ao mesmo período de 2018, quando foram identificados 336 focos. O número já é o maior contabilizado pelo Inpe nos últimos cinco anos para o estado. A média em 2019 tem sido de, pelo menos, 2,3 ocorrências por dia.

A major explica que as pessoas aproveitam o período de estiagem e vento forte para realizar as queimadas e recomenda acionar as autoridades competentes em caso de necessidade. “Nesse período o cuidado deve ser redobrado e uma prática muito comum no estado é a queimada de roças. Caso seja realmente necessário realizar uma queimada, a orientação é que o dono da propriedade peça autorização aos órgãos ambientais do estado e município para realizar uma queimada controlada”, ressalta. Outra dica do Corpo de Bombeiros é a abertura de “aceiros”, faixas em que a vegetação é retirada para impedir que o fogo de queimadas e incêndios se propague. Os aceiros podem ser feitos para preservar uma área (plantações, residências, estradas, áreas de preservação), antes do incêndio ou para evitar que ele se alastre quando já estiver começado.

O Corpo de Bombeiros recomenda ainda que nesse período do ano que os terrenos baldios sejam mantidos limpos, sem entulhos e que tão logo a pessoa perceba algum foco, acione imediatamente o Corpo de Bombeiros pelo telefone 193. Esse alerta também se estende às zonas rurais.

“Quem quiser ajudar para evitar um incêndio não deve colocar fogo em áreas rurais e nem lançar guimbas de cigarro pelas janelas dos automóveis. A população precisa se conscientizar que nesta época do ano os ventos fortes ajudam na propagação do fogo e um descuido pode ser perigoso”, reitera Ana Cléia.

Ela orienta ainda sobre os cuidados a tomar em caso de incêndio. "Se manter o mais distante possível para que não inale a fumaça, que pode causar tonturas e desmaios, além de manter a calma e aguardar os bombeiros”.

É importante lembrar que queimadas na vegetação causam danos à biodiversidade e é crime, podendo ser enquadrada na Lei n.º 9.605 de 12 de fevereiro de 1998 (Lei de Crimes Ambientais), onde constam penalidades contra a fauna, a flora, poluição, ordenamento urbano e patrimônio cultural.

Telefones úteis

193 (Corpo de Bombeiros) - para relatar ocorrência de focos de incêndio

191 (Polícia Rodoviária Federal) - para relatar acidentes e focos de incêndio em rodovias