Copa do Mundo: força africana, craques que atuam na Europa e grandes estreantes

Saiba como chegam e quem são os destaques de Croácia e Nigéria que se enfrentam pelo grupo D

No sábado (16), Croácia e Nigéria se enfrentam, às 16h. O confronto é de grande importância para as duas seleções do grupo D. Como a Argentina, favorita do grupo, enfrenta a Islândia, Croácia e Nigéria podem sair na frente na busca pela classificação na primeira fase.

E para medir forças as duas equipes vem de um longo trabalho em amistoso. A Nigéria realizou cinco amistosos enquanto a Croácia disputou quatro. A Croácia venceu três (Peru, México e Senegal), perdendo apenas para o Brasil. Já a Nigéria venceu apenas um dele, contra a Polônia, perdeu para Sérvia, Inglaterra e República Checa e empatou contra o Congo. Com esses resultados e histórias no Mundial, como as duas seleções chegam a Copa do Mundo?

Nigéria:

Em 2014, a seleção veio ao Brasil e foi eliminado nas oitavas. Em 2018 a seleção nigeriana quer ir mais longe e fazer sua melhor campanha na história das Copas. Com um time arrumado, a seleção chega a Copa com seus destaques. Do meio para frente o time tem sua força com jogadores com experiência no futebol internacional. John Obi Mikel é o capitão do time e a força desse meio. Mikel é quem joga mais a frente nessa posição.

John Obi Mikel  (Foto: AFP)
John Obi Mikel  (Foto: AFP)

 

E como na campanha das eliminatórias o time mostrou a força e velocidade do ataque, Alex Iwobi, Victor Moses e Odion Ighalo, são os jogadores que fecham o esquema. Assim como a Islândia, a grande característica da seleção nigeriana é o conjunto. Mas claro, o time tem seus destaques individuais. Victor Moses é o atacante mais experiente com passagens por Chelsea, Stoke City, West Ham e o Liverpool.

Seleção nigeriana (Foto: FIFA)
Seleção nigeriana (Foto: FIFA)

 

História em Copa do Mundo:

A Nigéria acumula cinco participações em Copas do Mundo. Esse ano, ela vai tentar bater as melhores campanhas da sua história: 1994 1998 e 2014. A década de 90 foi importante para história do futebol nigeriano. Em 1994, na sua primeira participação, o time deixou logo sua marca com um time de estrelas que brilhavam na Europa. Na sua estreia pegou a Bulgária e venceu por 3 a 0. No jogo seguinte era a vez da Argentina. Assim como hoje, a Argentina era a principal força do grupo e os nigerianos perderam o confronto. Na ultima rodada, bateu a Grécia e se classificou como primeira do grupo. Nas oitavas perdeu para a tradicional Itália. Mesmo assim, a seleção mostrou sua força e voltou na copa de 1998 buscando seu espaço com nomes de destaques.

Seleção nigeriana de 1998 (Foto: Reprodução)
Seleção nigeriana de 1998 (Foto: Reprodução)

 

Dando continuidade a forte geração do Super Águias, em 1998, eles chegaram mais maduros para disputa do Mundial. O primeiro confronto foi com a Espanha e a seleção nigeriana venceu de virada. A empolgação e confiança seriam levadas para o jogo contra a Bulgária. E assim os nigerianos venceram e enfrentaram o Paraguai já classificado. Mas a Nigéria encontrou a Dinamarca na fase das oitavas. Terminava ali a brilhante campanha de 1998.

Trajetória até a Copa do Mundo de 2018:

2015 foi um ano difícil para a Nigéria. Não conseguiu vaga para a Copa Africana das Nações e viu seu treinador ser demitido e morrer em junho de 2016. Então a Nigéria tinha mais uma vez, a missão de conseguir classificação para Copa Africana das Nações. Fez uma campanha de 14 jogos com apenas duas derrotas, 19 gols marcados e 6 sofridos. Mas de novo veio o baque. O treinador Sunday Oliseh se demitiu afirmando violação de contrato entre outros problemas. Assim a seleção ficou sem comando um mês do confronto decisivo com o Egito pelas eliminatórias da CAN.

Samsom Siasia assumiu a seleção, mas deixou a seleção pouco tempo depois. Quem assumiu a seleção foi o técnico alemão Gernot Rohr. Sem chances na CAN, a Nigéria tinha a missão de disputar as eliminatórias da Copa do Mundo. Os Super Águias tiveram uma grande classificação: seis jogos com quatro vitórias, um empate e uma derrota.

*** Com informações de Trivela

Croácia:

A seleção croata chega a Copa após se classificar por meio de repescagem. O que teoricamente seria um time sem importância na Copa, pode ser um dos destaques da primeira fase. A seleção conta com uma qualidade técnica nos homens de meio e frente. A dupla Rakitic e Modric tentam unir ao máximo seus talentos individuais no esquema de Zlatko Dalic.

Modric (Foto: reprodução/internet)
Modric (Foto: reprodução/internet)

 

O treinador chegou a seleção em outubro de 2017. Com pouco mais de oito meses de trabalho, Dalic buscou dar uma nova forma a seleção. Perisic é o meio que atua pela lateral com boa capacidade de dribles. Modric é um dos donos dessa seleção pela sua experiência e por sua qualidade técnica. Por isso, mesmo sem está entre as favoritas, essa seleção pode surpreender. Ou não.

História em Copas do Mundo:

A campanha de 2014 na Copa do Mundo do Brasil foi algo para ser esquecido pelos croatas. A seleção não avançou da primeira fase quando caiu no grupo com Camarões, Brasil e México.

Seleção croata de 1998 (Foto: reprodução)
Seleção croata de 1998 (Foto: reprodução)

 

Antes disso, a seleção teve sua primeira participação em Copa do Mundo no ano de 1998. Após a dissolução da Iugoslávia, a Croácia formou sua seleção. Por isso, os anos 90 marcam seu inicio em Copas. Logo em 1998, sua primeira aparição, a seleção conquistou sua melhor campanha até hoje. O terceiro lugar foi comemorado como título. Após uma boa campanha na Euro de 1996, a Croácia chegou confiante na Copa do Mundo. No grupo H, a Croácia caiu junto a Argentina, Japão e Jamaica. Passou tranquilamente levou a loucura o torcedor com a chegada as oitavas. Mal sabiam eles que a partida contra a Romênia traria mais felicidades. A vitória por 1 a 0 colocaria a Alemanha na frente dos croatas. E veio a zebra. A Croácia venceu a Alemanha por 3 a 0 com gols de Jarni, Vlaovic e Suker. Mesmo com toda a caminhada até ali, a Croácia não resistiu a seleção francesa de Zidane, Deschamps e Petit. Perderam por 2 a 1, mas fizeram história.

 

Suker foi artilheiro da Copa de 1998 com seis gols (Foto: reprodução)
Suker foi artilheiro da Copa de 1998 com seis gols (Foto: reprodução)