Bernie Ecclestone quer Kubica na vaga de Felipe Massa na Williams em 2018

Ex-chefão da Fórmula 1 é mais uma voz a favor da contratação de polonês pela equipe de Grove: "Se eu fosse a Williams, tentaria convencê-lo a vir para o time"

m dos principais candidatos a uma vaga na Williams para 2018, Robert Kubica acaba de ganhar um torcedor de peso pela sua volta à F1: o ex-chefão da categoria, Bernie Ecclestone. O britânico, em conversa com o site Motorsport.com logo após o teste realizado pelo polonês em Silverstone, nesta quarta-feira, afirmou que se não fosse seu acidente de rali em 2012, Kubica já seria um campeão de F1, além de deixar claro o seu apoio ao piloto na corrida por uma vaga para o ano que vem.

Ex-chefão da F1, Bernie Eccleston (Foto: Divulgação/Globo Esporte)
Ex-chefão da F1, Bernie Eccleston (Foto: Divulgação/Globo Esporte)

"Se o Robert não tivesse sofrido o acidente (de rali), acho que já teria sido campeão. Creio que ele possa retornar ainda mais forte do que antes. Mentalmente, eu acredito que será mais agressivo do que era antes. Então eu só consigo ver boas coisas para ele. Quanto a parte física, não vejo as lesões dele fazendo com que ele pare de correr. Se ele fizer o que acho que fará – ser ainda mais rápido que antes – aí as pessoas vão apoiá-lo. Será bom para a F1".

Ecclestone sabe que a vinda de Kubica significaria a ida de Felipe Massa. Contudo, o ex-dirigente crê que o brasileiro já fez sua parte na F1 e que talvez fosse a hora de a Williams apostar no polonês para dar "uma acordada", já que o time não tem conseguido bons resultados.

"Se eu fosse a Williams, tentaria convencê-lo a vir para o time. Talvez eles percam o Felipe Massa no fim do ano, mas eu acho que talvez o tempo dele tenha chegado. A presença dele talvez acordasse o pessoal por lá (na Williams). O time não tem ido bem como deveria. Se é culpa dos pilotos ou do time, eu não sei. Ninguém sabe. Então seria legal ver o que um cara que deveria ser rápido no carro para descobrirmos".

Ecclestone comentou o fato de Nico Rosberg ter assumido o papel de empresário de Kubica, que mostra que muitas pessoas acreditam piamente na capacidade do piloto ainda ser apto a guiar em alto nível.

"O Nico confia nele tanto quanto eu. Ele só precisa, como todos nós na vida, um pouco de sorte para que a Williams abra o olho e acorde".

Nesta quarta-feira, Robert completou um teste com o carro de 2014 da Williams no Circuito de Silverstone, em esquema de portões fechados, para o time avaliar se o piloto tem condições de pilotar em alto nível. O carro usado pelo polonês em sua avalição é o mesmo com o qual Stroll, antes de iniciar sua primeira temporada na F1, realizou vários testes para se familiarizar com circuitos que nunca havia corrido antes. A escuderia de Grove confirmou a informação e, sem muitos detalhes (número de voltas, melhor tempo...), se limitou a afirmar que a experiência foi "bem-sucedida".
 
A ideia é que o time teste o polonês novamente, desta vez em Hungaroring, na Hungria (mesmo traçado em que Kubica guiou pela primeira vez um carro da F1 de 2017, da Renault). Acredita-se que a experiência será realizada antes do GP dos EUA, com Paul Di Resta pilotando em um dos dias de testes.

 

Mais lidas nesse momento