1. Editorias
  2. Política
  3. Prefeitos e servidores “furam” fila da vacinação contra o coronavírus
Publicidade

Prefeitos e servidores “furam” fila da vacinação contra o coronavírus

Pelo menos 4 prefeitos não respeitaram a priorização de profissionais de saúde, idosos, indígenas e portadores de deficiência

Na 1ª semana de vacinação contra a covid-19 no Brasil, prefeitos e servidores públicos que não atuam no combate ao coronavírus “furaram” a fila da imunização, determinada pelo Ministério da Saúde no PNI (Programa Nacional de Imunização).

Prefeitos e servidores “furam” fila da vacinação contra o coronavírus (Foto:Reprodução)

Pelo menos 4 prefeitos não respeitaram a priorização de profissionais de saúde, idosos, indígenas e portadores de deficiência no 1º ciclo de vacinação com a CoronaVac, imunizante desenvolvido pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

Bahia

No município de Candiba (BA), o prefeito Reginaldo Martins Prado (PSD) foi o 1º a ser vacinado com uma das 100 doses destinadas à cidade. O perfil da prefeitura no Instagram publicou uma foto do momento em que a vacina é aplicada no chefe do Executivo.

Segundo ele, o ato teve o objetivo de encorajar a campanha de imunização. Em vídeo, Prado afirmou que profissionais de saúde que atuam no combate ao coronavírus em Candiba estavam resistindo a receber o imunizante.

“Até o pessoal da saúde estava preocupado em tomar a vacina. Respondi: ‘Não tem nada demais, pode tomar a vacina’. Falei que eles têm que entender que a vacina é o melhor para nós. (…) Tomei a vacina preocupado em encorajar e incentivar as pessoas”, disse.

Em reação, o MPF (Ministério Público Federal) e o MP-BA (Ministério Público da Bahia) apresentaram uma ação civil pública (íntegra – 1 MB) e uma ação por improbidade (íntegra – 720 KB) contra o prefeito. Os promotores pediram, entre outras medidas, que a Justiça determine que Prado seja impedido de receber a 2ª dose.

Sergipe

O prefeito Júnior de Amynthas (DEM), de Itabi (SE), também foi vacinado. Alvo de críticas, ele publicou vídeo nas redes sociais em que afirma que o gesto foi uma ação para “incentivar a população para que tomasse a vacina”.

“Se não houvesse nobreza ou boa intenção no meu gesto, teria tomado a vacina às escondidas e vacinaria também minha esposa, meu filho de 8 anos e meus pais de 80 e 85 anos. Todos sabem como a vacina CoronaVac está sendo desacreditada”, declarou.

Piauí

Uma foto que circula nas redes sociais mostra o prefeito de Guaribas (PI), Joércio de Andrade (MDB), sendo vacinado. Ele é agricultor e não está nos grupos prioritários do 1º ciclo de vacinação. Em Uruçuí, também no interior do Piauí, o prefeito Dr. Wagner Coelho (PP) foi imunizado. Ele, no entanto, alegou ser médico e disse que faz atendimento de pacientes diagnosticados com covid-19.

Amazonas

Em Manaus (AM), as médicas Isabelle Kirk Maddy Lins e Gabrielle Kirk Maddy Lins, filhas de Nilton da Costa Lins Júnior, presidente da Universidade Nilton Lins, publicaram fotos do momento da aplicação da vacina nas redes sociais nessa 3ª feira (19.jan).

Elas foram nomeadas na véspera do início da vacinação na cidade. A prefeitura de Manaus afirmou, em nota enviada à imprensa, que a nomeação das médicas foi feita de forma regular e que elas estão atuando “legitimamente”.

Pernambuco

A secretária de Saúde de Jupi (PE), Maria Nadir Ferro, e o fotógrafo oficial da prefeitura, Guilherme JG, também publicaram fotos sendo vacinados. Em nota, a administração municipal afirmou que “repudia qualquer ilegalidade na não observação do plano estadual e municipal de imunização” e que afastou os 2 profissionais.


 

Na 1ª semana de vacinação contra a covid-19 no Brasil, prefeitos e servidores públicos que não atuam no combate ao coronavírus “furaram” a fila da imunização, determinada pelo Ministério da Saúde no PNI (Programa Nacional de Imunização).

Prefeitos e servidores “furam” fila da vacinação contra o coronavírus (Foto:Reprodução)

Pelo menos 4 prefeitos não respeitaram a priorização de profissionais de saúde, idosos, indígenas e portadores de deficiência no 1º ciclo de vacinação com a CoronaVac, imunizante desenvolvido pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

Bahia

No município de Candiba (BA), o prefeito Reginaldo Martins Prado (PSD) foi o 1º a ser vacinado com uma das 100 doses destinadas à cidade. O perfil da prefeitura no Instagram publicou uma foto do momento em que a vacina é aplicada no chefe do Executivo.

Segundo ele, o ato teve o objetivo de encorajar a campanha de imunização. Em vídeo, Prado afirmou que profissionais de saúde que atuam no combate ao coronavírus em Candiba estavam resistindo a receber o imunizante.

“Até o pessoal da saúde estava preocupado em tomar a vacina. Respondi: ‘Não tem nada demais, pode tomar a vacina’. Falei que eles têm que entender que a vacina é o melhor para nós. (…) Tomei a vacina preocupado em encorajar e incentivar as pessoas”, disse.

Em reação, o MPF (Ministério Público Federal) e o MP-BA (Ministério Público da Bahia) apresentaram uma ação civil pública (íntegra – 1 MB) e uma ação por improbidade (íntegra – 720 KB) contra o prefeito. Os promotores pediram, entre outras medidas, que a Justiça determine que Prado seja impedido de receber a 2ª dose.

Sergipe

O prefeito Júnior de Amynthas (DEM), de Itabi (SE), também foi vacinado. Alvo de críticas, ele publicou vídeo nas redes sociais em que afirma que o gesto foi uma ação para “incentivar a população para que tomasse a vacina”.

“Se não houvesse nobreza ou boa intenção no meu gesto, teria tomado a vacina às escondidas e vacinaria também minha esposa, meu filho de 8 anos e meus pais de 80 e 85 anos. Todos sabem como a vacina CoronaVac está sendo desacreditada”, declarou.

Piauí

Uma foto que circula nas redes sociais mostra o prefeito de Guaribas (PI), Joércio de Andrade (MDB), sendo vacinado. Ele é agricultor e não está nos grupos prioritários do 1º ciclo de vacinação. Em Uruçuí, também no interior do Piauí, o prefeito Dr. Wagner Coelho (PP) foi imunizado. Ele, no entanto, alegou ser médico e disse que faz atendimento de pacientes diagnosticados com covid-19.

Amazonas

Em Manaus (AM), as médicas Isabelle Kirk Maddy Lins e Gabrielle Kirk Maddy Lins, filhas de Nilton da Costa Lins Júnior, presidente da Universidade Nilton Lins, publicaram fotos do momento da aplicação da vacina nas redes sociais nessa 3ª feira (19.jan).

Elas foram nomeadas na véspera do início da vacinação na cidade. A prefeitura de Manaus afirmou, em nota enviada à imprensa, que a nomeação das médicas foi feita de forma regular e que elas estão atuando “legitimamente”.

Pernambuco

A secretária de Saúde de Jupi (PE), Maria Nadir Ferro, e o fotógrafo oficial da prefeitura, Guilherme JG, também publicaram fotos sendo vacinados. Em nota, a administração municipal afirmou que “repudia qualquer ilegalidade na não observação do plano estadual e municipal de imunização” e que afastou os 2 profissionais.