1. Editorias
  2. Saúde
  3. Centro de Atenção ao Diabético registra aumento de 26% nos atendimentos
Publicidade

Centro de Atenção ao Diabético registra aumento de 26% nos atendimentos

O serviço fica no Centro Lineu Araújo e atende pessoas com diabetes tipo 1 e casos específicos do tipo 2

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) divulgou nesta quinta-feira (14) que, entre janeiro e outubro de 2019, foram realizados 7.998 atendimentos no Centro de Atenção ao Diabético (CAD). O número representa um aumento de 26%, se comparado ao mesmo período de 2018. 

Centro de Atenção ao Diabético( Foto: reprodução ascom)

O presidente da FMS, Charles Silveira, explica o fluxo de atendimento em saúde na capital piauiense. “As Unidades Básicas de Saúde (UBS) realizam a prevenção de doenças bem como o acompanhamento de usuários com diabetes, inclusive fornecendo medicações e insumos básicos para o controle e tratamento dessa doença. Se houver necessidade, acontecem também marcações de consultas especializadas. Já o CAD do Lineu Araújo dá um suporte para esse público, em caso de complicações”, ressalta.

Para ter acesso ao Centro de Atenção ao Diabético (CAD) o usuário deve se dirigir à Unidade Básica de Saúde mais próxima da sua casa para ser atendido por um médico clínico. Ele pode ser encaminhado ao CAD, se for diagnosticado com diabetes tipo 1 e também se for diabetes tipo 2 que precise do uso de insulina, que esteja com complicações associadas ou com diabetes descompensado. O Centro conta com equipe multiprofissional com médicos endocrinologistas, angiologistas, cardiologistas, oftalmologistas, nutricionistas e enfermeiros.

O diabetes é uma doença crônica caracterizada pelo aumento de glicose no sangue e que não tem cura, mas tem controle. As complicações do diabetes podem atingir o coração, os olhos, os nervos, os rins, as artérias e até levar a morte do indivíduo.

“É essencial que o usuário tenha uma alimentação adequada, faça exercícios físicos e utilize as medicações de acordo com as orientações médicas”, explica a médica endocrinologista do CAD do Lineu Araújo, Patrícia Moreira.

O serviço fica no Centro Lineu Araújo e atende pessoas com diabetes tipo 1 e casos específicos do tipo 2.

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) divulgou nesta quinta-feira (14) que, entre janeiro e outubro de 2019, foram realizados 7.998 atendimentos no Centro de Atenção ao Diabético (CAD). O número representa um aumento de 26%, se comparado ao mesmo período de 2018. 

ddd

Centro de Atenção ao Diabético( Foto: reprodução ascom)

O presidente da FMS, Charles Silveira, explica o fluxo de atendimento em saúde na capital piauiense. “As Unidades Básicas de Saúde (UBS) realizam a prevenção de doenças bem como o acompanhamento de usuários com diabetes, inclusive fornecendo medicações e insumos básicos para o controle e tratamento dessa doença. Se houver necessidade, acontecem também marcações de consultas especializadas. Já o CAD do Lineu Araújo dá um suporte para esse público, em caso de complicações”, ressalta.

Para ter acesso ao Centro de Atenção ao Diabético (CAD) o usuário deve se dirigir à Unidade Básica de Saúde mais próxima da sua casa para ser atendido por um médico clínico. Ele pode ser encaminhado ao CAD, se for diagnosticado com diabetes tipo 1 e também se for diabetes tipo 2 que precise do uso de insulina, que esteja com complicações associadas ou com diabetes descompensado. O Centro conta com equipe multiprofissional com médicos endocrinologistas, angiologistas, cardiologistas, oftalmologistas, nutricionistas e enfermeiros.

O diabetes é uma doença crônica caracterizada pelo aumento de glicose no sangue e que não tem cura, mas tem controle. As complicações do diabetes podem atingir o coração, os olhos, os nervos, os rins, as artérias e até levar a morte do indivíduo.

“É essencial que o usuário tenha uma alimentação adequada, faça exercícios físicos e utilize as medicações de acordo com as orientações médicas”, explica a médica endocrinologista do CAD do Lineu Araújo, Patrícia Moreira.

O serviço fica no Centro Lineu Araújo e atende pessoas com diabetes tipo 1 e casos específicos do tipo 2.