1. Colunas
  2. Arimatéia Azevedo
  3. A palavra é compromisso
Publicidade

A palavra é compromisso

O governo do presidente Bolsonaro credita à ideologia (de esquerda) todo o insucesso do Brasil. É a antítese do que dizia o PT, que creditava a si todo o sucesso do país. Bolsonaro age como se antes de 2003, primeiro ano do governo petista, o Brasil fosse um paraíso social e econômico de indicadores nórdicos. O PT agia como se antes dele, o país vivesse em um limbo, tendo o petismo sendo o inventor de um estado do bem estar social eterno. Ambos fazem narrativas erradas sobre o país. Ora, em tudo há ideologia, porque a inexistência desta é impossível onde houver uma sociedade minimamente organizada. Contudo, quando é a ideologia o principal motor dos interesses e dos objetivos de um país, está muito evidente que se trilha caminhos ruins. O PT e Bolsonaro são duas provas muito fortes disso. Por isso é que cabe lembrar, acerca de educação, fundamental política pública para o país, não se deve permitir cair no conto fácil do mal resultado em face de uma “ideologização”. Se sobra ideologia na educação, como querem crer muitos, falta compromisso, motor mais importante para o bom desempenho escolar. E compromisso não significa necessariamente gastar mais dinheiro, mas aplicar melhor, ter controle sobre qualidade, presença de alunos, aplicação dos conteúdos, cumprimento do calendário letivo de 200 dias. Simples assim, como fazem, aliás, as cidades piauienses de Teresina, Cocal dos Alves e Oeiras, além da cearense Sobral, apontadas pelo ex-deputado federal mineiro Marcus Pestana, para quem essas cidades são indicativos de que há bússolas com e planos de ação baseados em evidências nacionais e internacionais e em experiências exitosas que não deixam o pessimismo tomar conta e mostram que outra educação é possível. 

Confusão termina com pessoas feridas em boate (Foto: WhatsApp)

Olhem, lá!

Pelo rastro de sangue deixado com o quebra-quebra na casa de shows The Nashville, sexta-feira, com muitas pessoas feridas e o histórico de confusões por ali, as autoridades deveriam repensar a concessão do alvará para aquilo lá funcionar. 
Tudo cheira a uma tragédia anunciada. 

Confiança

Rafael Neiva, que foi presidente da Fundação Hospitalar, é agora o diretor jurídico. A nomeação foi feita semana passada.
Luciana Maria Nunes Nogueira Campos Maia, que foi superintendente do Ibama e secretária municipal de Habitação, na gestão de Elmano Férrer, foi nomeada diretora de Tecnologia da Informação.

Nomeações

O advogado e empresário Severo Ulisses Eulálio Rocha e mais 106 pessoas foram nomeados na semana passada para cargos em comissão na Secretaria de Assistência Social, Trabalho e Direitos Humanos. 

Módico

Na Secretaria de Administração e Previdência foram feitas mais 46 nomeações na semana passada. 

Ajudantes

Oito oficiais da Polícia Militar foram nomeados na semana passada para serem ajudantes de ordem do governador Wellington Dias. 
Dá mais de um profissional por dia na semana.

Assis Carvalho (Foto: Lucas Sousa / Portal AZ)

Incendiando

O deputado federal Assis Carvalho (PT), cobrou provas de que o grupo político do deputado B. Sá Filho (PP) votou em Wellington Dias e disse que ele não merece cargo no governo. O presidente do PT diz ainda que o parlamentar votou nas eleições no candidato do PSDB, Luciano Nunes.

As provas

“Se você encontrar na cidade de Oeiras um carro que foi adesivado com o Wellington, um vereador alguém do grupo aí se pode falar alguma coisa, não teve um que não tenha votado no Luciano Nunes”, disse Assis.

Júlio César (Foto: Lucas Sousa/Portal AZ)

Até agora nada

O deputado federal Júlio Cesar diz que até agora só promessa do governo acerca da nomeação do ex-vereador Tiago Vasconcelos, para a superintendência do Incra no Piauí.

Explicação

O parlamentar do PSD afirma que o Planalto agora empurrou para a próxima semana a nomeação. Talvez isso explique as consecutivas derrotas do governo no Congresso.

Reitor da UFPI, Arimatéia Dantas (Foto: Lucas Sousa / Portal AZ)

Conta fechada

O reitor da Universidade Federal do Piauí, Arimatéia Dantas, diz que do orçamento previsto para a instituição neste ano, já foram liberados 40%. Foram contingenciados 30% do que ainda deveria ser aplicado – o que deixa a UFPI com somente 30% do orçamento para todo o restante do ano.

Libera aí

Por isso, o reitor pediu e deve ter o apoio da bancada federal do Piauí no Congresso para rever o bloqueio. Isso representa uma boa força política, mas nenhuma garantia efetiva de que o MEC reveja o bloqueio, cuja manutenção, diz o reitor, pode paralisar a UFPI a partir de setembro.

Themístocles Filho (Foto: Lucas Sousa / Portal AZ)

Parecer contrário

Via Procuradoria Jurídica, o presidente da Assembleia, Themístocles Filho (MDB), respondeu ao ministro do STF, Luiz Roberto Barroso, com parecer contrário à mudança de servidores do regime de previdência estadual para o INSS.

Insegurança

Themístocles diz que o assunto precisa ser discutido com servidores que serão afetados. O presidente da Alepi vê ainda a retirada de direitos já adquiridos pelos servidores. E, claro, a insegurança jurídica que uma decisão como essa ocasiona.

Manobra

Já a oposição na Assembleia acusa o governo de manobra e diz que o governador não fez uma consulta ao STF e sim ingressou com uma ação para retirar os servidores do regime.
“Consulta é só papo furado, isso é uma ADPF”, explica Gustavo Neiva.

Palácio de Karnak (Foto: Lucas Sousa/Portal AZ)

Pilatos

Em nota ao público, a Secretaria de Governo do Piauí informa que apenas servidores efetivos são legalmente obrigados a apresentar declaração de não acumulação de cargo/emprego/função públicos no ato da posse. Ou seja, lavou as mãos sobre eventuais acumulações.

Agora sim

Agora que estão sendo descobertas acumulações ilegais de cargos, a Segov não fechou a porta, mas assinou uma carta de seguros para si, informado que “em decorrência dos últimos acontecimentos relativos às nomeações, a Secretaria exigirá a respectiva declaração para todos os cargos comissionados nomeados a partir do dia 02 de maio de 2019”.

Cachoeira do Xixá fica localizada no município de Batalha 

Cachoeira do Xixá

Lucia Fernanda Silveira escreve para dizer que o colunista foi leviano e cometeu várias inverdades ao dizer que o vereador de Batalha, Augusto César, marido dela, tratado aqui como imperador das águas, não fez barramentos que deixam seca, antes do fim da estação das águas, a cachoeira do Xixá, na zona rural do município.

Cachoeira do Xixá 2

Ela afirma que a barragem citada tem licença ambiental e está totalmente regular e que não existe nenhuma obstrução de água, havendo um esforço por parte de Augusto César e da mãe dele para a preservação da área. Diz ainda que o marido dela não foi alvo de uma ação judicial do MP.

Cachoeira do Xixá 3

Não é bem assim que a banda toca, segundo o Ministério Público Estadual, em cuja página na internet se fica sabendo que “a Promotoria de Justiça de Batalha ingressou com Ação Civil Pública (ACP) contra o Estado do Piauí, Augusto César de Melo Freitas e Maria Teresinha de Jesus Melo Freitas para responsabilização por danos ao meio ambiente”. 

Cachoeira do Xixá 4

Isso foi em 2015, quando foi produzido, a pedido do MP, “relatório de fiscalização que constatou a construção do barramento nas seguintes dimensões: 30 metros de comprimento por 3 metros de altura, construído por Augusto César de Melo Freitas no leito do riacho, na localidade Paquetá”.

Cachoeira do Xixá 5

Segundo o MP, diante da constatação técnica sobre os prejuízos causados à vazão do riacho e também à flora e fauna local que dependem do fluxo de água, o Ministério Público propôs a assinatura de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), com a intenção de remover os barramentos, mas a proposta foi recusada por Augusto César de Melo Freitas, que apresentou Declaração de Baixo Impacto Ambiental da Semar, o que foi recusado pela Promotoria.

Leviandade, aqui? 

Como se vê, a prática de inverdade recheada de leviandade não partiu da coluna. 
Ah, o título honorífico de imperador, foi mais como ironia que propriamente grosseria, em face do nome dele, Augusto Cesar, o mesmo de um imperador romano.
Augusto César merece todo respeito. 

Ping-Pong
Pior doença do mundo

Anos atrás numa conversa em seu restaurante, João Veras ouvia conversas de amigos sobre doenças. Um reclamava de artrite reumatóide, outro mencionava o câncer como o pior dos males, enquanto um terceiro falava que ruim mesmo era uma doença cardíaca. Diante daquele papo de hipocondríacos, João Veras interrompeu com ar douto e foi direto ao ponto. 

João Veras: "Rapaz, eu não boto fé no perigo dessas doenças do coração, de artrite, de câncer, de tuberculose, de lepra. Doença ruim mesmo é a que eu tenho". 
O amigo: "E que doença tão grave é essa, João?" 
João Veras: "Liseira, meu amigo, liseira." 

*Originalmente publicado em 14 de fevereiro de 2003.

Expressas

A coronel Júlia Beatriz Almeida é quem reponde pela Diretoria de Gestão de Alto Risco da Secretaria de Segurança Pública do Piauí.

Dia 26, domingo que vem, está marcada uma manifestação pró-presidente Bolsonaro. Se falhar, o tsunami pega ele.

Aliás, Bolsonaro deveria ler o que escreveu JK. Iria ajudar muito. Ele poderia descobrir que o ex-presidente se referia à opinião pública como “o monstro”.

O governo do presidente Bolsonaro credita à ideologia (de esquerda) todo o insucesso do Brasil. É a antítese do que dizia o PT, que creditava a si todo o sucesso do país. Bolsonaro age como se antes de 2003, primeiro ano do governo petista, o Brasil fosse um paraíso social e econômico de indicadores nórdicos. O PT agia como se antes dele, o país vivesse em um limbo, tendo o petismo sendo o inventor de um estado do bem estar social eterno. Ambos fazem narrativas erradas sobre o país. Ora, em tudo há ideologia, porque a inexistência desta é impossível onde houver uma sociedade minimamente organizada. Contudo, quando é a ideologia o principal motor dos interesses e dos objetivos de um país, está muito evidente que se trilha caminhos ruins. O PT e Bolsonaro são duas provas muito fortes disso. Por isso é que cabe lembrar, acerca de educação, fundamental política pública para o país, não se deve permitir cair no conto fácil do mal resultado em face de uma “ideologização”. Se sobra ideologia na educação, como querem crer muitos, falta compromisso, motor mais importante para o bom desempenho escolar. E compromisso não significa necessariamente gastar mais dinheiro, mas aplicar melhor, ter controle sobre qualidade, presença de alunos, aplicação dos conteúdos, cumprimento do calendário letivo de 200 dias. Simples assim, como fazem, aliás, as cidades piauienses de Teresina, Cocal dos Alves e Oeiras, além da cearense Sobral, apontadas pelo ex-deputado federal mineiro Marcus Pestana, para quem essas cidades são indicativos de que há bússolas com e planos de ação baseados em evidências nacionais e internacionais e em experiências exitosas que não deixam o pessimismo tomar conta e mostram que outra educação é possível. 

Confusão termina com pessoas feridas em boate (Foto: WhatsApp)

Olhem, lá!

Pelo rastro de sangue deixado com o quebra-quebra na casa de shows The Nashville, sexta-feira, com muitas pessoas feridas e o histórico de confusões por ali, as autoridades deveriam repensar a concessão do alvará para aquilo lá funcionar. 
Tudo cheira a uma tragédia anunciada. 

Confiança

Rafael Neiva, que foi presidente da Fundação Hospitalar, é agora o diretor jurídico. A nomeação foi feita semana passada.
Luciana Maria Nunes Nogueira Campos Maia, que foi superintendente do Ibama e secretária municipal de Habitação, na gestão de Elmano Férrer, foi nomeada diretora de Tecnologia da Informação.

Nomeações

O advogado e empresário Severo Ulisses Eulálio Rocha e mais 106 pessoas foram nomeados na semana passada para cargos em comissão na Secretaria de Assistência Social, Trabalho e Direitos Humanos. 

Módico

Na Secretaria de Administração e Previdência foram feitas mais 46 nomeações na semana passada. 

Ajudantes

Oito oficiais da Polícia Militar foram nomeados na semana passada para serem ajudantes de ordem do governador Wellington Dias. 
Dá mais de um profissional por dia na semana.

Assis Carvalho (Foto: Lucas Sousa / Portal AZ)

Incendiando

O deputado federal Assis Carvalho (PT), cobrou provas de que o grupo político do deputado B. Sá Filho (PP) votou em Wellington Dias e disse que ele não merece cargo no governo. O presidente do PT diz ainda que o parlamentar votou nas eleições no candidato do PSDB, Luciano Nunes.

As provas

“Se você encontrar na cidade de Oeiras um carro que foi adesivado com o Wellington, um vereador alguém do grupo aí se pode falar alguma coisa, não teve um que não tenha votado no Luciano Nunes”, disse Assis.

Júlio César (Foto: Lucas Sousa/Portal AZ)

Até agora nada

O deputado federal Júlio Cesar diz que até agora só promessa do governo acerca da nomeação do ex-vereador Tiago Vasconcelos, para a superintendência do Incra no Piauí.

Explicação

O parlamentar do PSD afirma que o Planalto agora empurrou para a próxima semana a nomeação. Talvez isso explique as consecutivas derrotas do governo no Congresso.

Reitor da UFPI, Arimatéia Dantas (Foto: Lucas Sousa / Portal AZ)

Conta fechada

O reitor da Universidade Federal do Piauí, Arimatéia Dantas, diz que do orçamento previsto para a instituição neste ano, já foram liberados 40%. Foram contingenciados 30% do que ainda deveria ser aplicado – o que deixa a UFPI com somente 30% do orçamento para todo o restante do ano.

Libera aí

Por isso, o reitor pediu e deve ter o apoio da bancada federal do Piauí no Congresso para rever o bloqueio. Isso representa uma boa força política, mas nenhuma garantia efetiva de que o MEC reveja o bloqueio, cuja manutenção, diz o reitor, pode paralisar a UFPI a partir de setembro.

Themístocles Filho (Foto: Lucas Sousa / Portal AZ)

Parecer contrário

Via Procuradoria Jurídica, o presidente da Assembleia, Themístocles Filho (MDB), respondeu ao ministro do STF, Luiz Roberto Barroso, com parecer contrário à mudança de servidores do regime de previdência estadual para o INSS.

Insegurança

Themístocles diz que o assunto precisa ser discutido com servidores que serão afetados. O presidente da Alepi vê ainda a retirada de direitos já adquiridos pelos servidores. E, claro, a insegurança jurídica que uma decisão como essa ocasiona.

Manobra

Já a oposição na Assembleia acusa o governo de manobra e diz que o governador não fez uma consulta ao STF e sim ingressou com uma ação para retirar os servidores do regime.
“Consulta é só papo furado, isso é uma ADPF”, explica Gustavo Neiva.

Palácio de Karnak (Foto: Lucas Sousa/Portal AZ)

Pilatos

Em nota ao público, a Secretaria de Governo do Piauí informa que apenas servidores efetivos são legalmente obrigados a apresentar declaração de não acumulação de cargo/emprego/função públicos no ato da posse. Ou seja, lavou as mãos sobre eventuais acumulações.

Agora sim

Agora que estão sendo descobertas acumulações ilegais de cargos, a Segov não fechou a porta, mas assinou uma carta de seguros para si, informado que “em decorrência dos últimos acontecimentos relativos às nomeações, a Secretaria exigirá a respectiva declaração para todos os cargos comissionados nomeados a partir do dia 02 de maio de 2019”.

Cachoeira do Xixá fica localizada no município de Batalha 

Cachoeira do Xixá

Lucia Fernanda Silveira escreve para dizer que o colunista foi leviano e cometeu várias inverdades ao dizer que o vereador de Batalha, Augusto César, marido dela, tratado aqui como imperador das águas, não fez barramentos que deixam seca, antes do fim da estação das águas, a cachoeira do Xixá, na zona rural do município.

Cachoeira do Xixá 2

Ela afirma que a barragem citada tem licença ambiental e está totalmente regular e que não existe nenhuma obstrução de água, havendo um esforço por parte de Augusto César e da mãe dele para a preservação da área. Diz ainda que o marido dela não foi alvo de uma ação judicial do MP.

Cachoeira do Xixá 3

Não é bem assim que a banda toca, segundo o Ministério Público Estadual, em cuja página na internet se fica sabendo que “a Promotoria de Justiça de Batalha ingressou com Ação Civil Pública (ACP) contra o Estado do Piauí, Augusto César de Melo Freitas e Maria Teresinha de Jesus Melo Freitas para responsabilização por danos ao meio ambiente”. 

Cachoeira do Xixá 4

Isso foi em 2015, quando foi produzido, a pedido do MP, “relatório de fiscalização que constatou a construção do barramento nas seguintes dimensões: 30 metros de comprimento por 3 metros de altura, construído por Augusto César de Melo Freitas no leito do riacho, na localidade Paquetá”.

Cachoeira do Xixá 5

Segundo o MP, diante da constatação técnica sobre os prejuízos causados à vazão do riacho e também à flora e fauna local que dependem do fluxo de água, o Ministério Público propôs a assinatura de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), com a intenção de remover os barramentos, mas a proposta foi recusada por Augusto César de Melo Freitas, que apresentou Declaração de Baixo Impacto Ambiental da Semar, o que foi recusado pela Promotoria.

Leviandade, aqui? 

Como se vê, a prática de inverdade recheada de leviandade não partiu da coluna. 
Ah, o título honorífico de imperador, foi mais como ironia que propriamente grosseria, em face do nome dele, Augusto Cesar, o mesmo de um imperador romano.
Augusto César merece todo respeito. 

Ping-Pong
Pior doença do mundo

Anos atrás numa conversa em seu restaurante, João Veras ouvia conversas de amigos sobre doenças. Um reclamava de artrite reumatóide, outro mencionava o câncer como o pior dos males, enquanto um terceiro falava que ruim mesmo era uma doença cardíaca. Diante daquele papo de hipocondríacos, João Veras interrompeu com ar douto e foi direto ao ponto. 

João Veras: "Rapaz, eu não boto fé no perigo dessas doenças do coração, de artrite, de câncer, de tuberculose, de lepra. Doença ruim mesmo é a que eu tenho". 
O amigo: "E que doença tão grave é essa, João?" 
João Veras: "Liseira, meu amigo, liseira." 

*Originalmente publicado em 14 de fevereiro de 2003.

Expressas

A coronel Júlia Beatriz Almeida é quem reponde pela Diretoria de Gestão de Alto Risco da Secretaria de Segurança Pública do Piauí.

Dia 26, domingo que vem, está marcada uma manifestação pró-presidente Bolsonaro. Se falhar, o tsunami pega ele.

Aliás, Bolsonaro deveria ler o que escreveu JK. Iria ajudar muito. Ele poderia descobrir que o ex-presidente se referia à opinião pública como “o monstro”.

O concurso de promotor 2 Desemprego crescente

Mais lidas desse blog