1. Editorias
  2. Justiça
  3. Desembargador Erivan Lopes é denunciado pelo Ministério Público ao CNJ
Publicidade

Desembargador Erivan Lopes é denunciado pelo Ministério Público ao CNJ

A denúncia foi protocolada no dia 11 deste mês e já está conclusa para tomada de decisão

O promotor de justiça Galeno Aristoteles Côelho de Sá fez reclamação junto ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) contra o desembargador Erivan José da Silva Lopes por suposto envolvimento com denúncias de cometimento de infração disciplinar.

Desembargador Erivan Lopes (Foto: Lucas Sousa/Portal AZ)

No rol da denúncia, aparecem também Manoel Barbosa do Nascimento Filho e Caio Cézar Arêa Leão Barbosa, titulares do cartório da cidade de Luis Correia. A denúncia foi protocolada no dia 11 deste mês e está conclusa para decisão pela Corregedoria do CNJ.

Caio Cézar Area Leao Barbosa e Manoel Barbosa do Nascimento Filho (Foto: reprodução/redes sociais)

O promotor faz ligação do desembargador Erivan Lopes com as denúncias de supostas práticas de grilagem em Luis Correia. Erivan teria adquirido terreno na praia e, coincidentemente, aparece concedendo medida cautelar para evitar a prisão, pelo Gaeco, de Luís Neto, um dos denunciados pelo Ministério Público.

A reclamação do promotor de Justiça de Luís Correia foi protocolada às 16h32min no CNJ e, imediatamente, às 18h54 já estava conclusa para a tomada de decisão.

Em 28 de maio, Erivan concedeu medida cautelar para evitar a prisão determinada pelo juiz de Luís Correia contra Luís Neto. No “contramandado de prisão” despachado, o desembargador substituiu a prisão preventiva decretada pelo juízo de primeiro grau por medida cautelar. 

Contramandado de prisão (Foto: divulgação)

Sobre a operação do Gaeco

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) em conjunto com a Polícia Civil do Piauí deflagrou as operações Terra Nullius e  Sal da Terra em 28 de maio desse ano. As equipes deram cumprimento a dez mandados de busca e apreensão e a um mandando de prisão. As operações tinham como objetivo, respectivamente, apurar a prática de grilagem de terras e investigar a formação de milícia armada, no município de Luís Correia.

Polícia fez buscas no apartamento do genro de Mão Santa em Teresina (Foto: Lucas Sousa/Portal AZ)

Entre os alvos da operação foi citado o empresário Luís Nunes Neto, esposo da delegada Cassandra Moraes Sousa, filha do prefeito de Parnaíba, Mão Santa.  A Polícia Civil fez buscas em um apartamento de luxo na zona Leste de Teresina, mas ele não chegou a ser localizado.

Matérias relacionadas:

Desembargador suspende pedido de prisão do Gaeco contra Luís Neto    

Polícia faz buscas na casa da delegada Cassandra Moraes; marido é considerado foragido

Advogado diz que investigado em grilagem de terras vai se apresentar quando tiver acesso ao processo

Conheça detalhes da denúncia do MP e decisão do juiz sobre suspeitos de grilagem de terras    

 Empresário e advogado negam grilagem de terras em Luís Correia

O promotor de justiça Galeno Aristoteles Côelho de Sá fez reclamação junto ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) contra o desembargador Erivan José da Silva Lopes por suposto envolvimento com denúncias de cometimento de infração disciplinar.

Desembargador Erivan Lopes (Foto: Lucas Sousa/Portal AZ)

No rol da denúncia, aparecem também Manoel Barbosa do Nascimento Filho e Caio Cézar Arêa Leão Barbosa, titulares do cartório da cidade de Luis Correia. A denúncia foi protocolada no dia 11 deste mês e está conclusa para decisão pela Corregedoria do CNJ.

Caio Cézar Area Leao Barbosa e Manoel Barbosa do Nascimento Filho (Foto: reprodução/redes sociais)

O promotor faz ligação do desembargador Erivan Lopes com as denúncias de supostas práticas de grilagem em Luis Correia. Erivan teria adquirido terreno na praia e, coincidentemente, aparece concedendo medida cautelar para evitar a prisão, pelo Gaeco, de Luís Neto, um dos denunciados pelo Ministério Público.

A reclamação do promotor de Justiça de Luís Correia foi protocolada às 16h32min no CNJ e, imediatamente, às 18h54 já estava conclusa para a tomada de decisão.

Em 28 de maio, Erivan concedeu medida cautelar para evitar a prisão determinada pelo juiz de Luís Correia contra Luís Neto. No “contramandado de prisão” despachado, o desembargador substituiu a prisão preventiva decretada pelo juízo de primeiro grau por medida cautelar. 

Contramandado de prisão (Foto: divulgação)

Sobre a operação do Gaeco

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) em conjunto com a Polícia Civil do Piauí deflagrou as operações Terra Nullius e  Sal da Terra em 28 de maio desse ano. As equipes deram cumprimento a dez mandados de busca e apreensão e a um mandando de prisão. As operações tinham como objetivo, respectivamente, apurar a prática de grilagem de terras e investigar a formação de milícia armada, no município de Luís Correia.

Polícia fez buscas no apartamento do genro de Mão Santa em Teresina (Foto: Lucas Sousa/Portal AZ)

Entre os alvos da operação foi citado o empresário Luís Nunes Neto, esposo da delegada Cassandra Moraes Sousa, filha do prefeito de Parnaíba, Mão Santa.  A Polícia Civil fez buscas em um apartamento de luxo na zona Leste de Teresina, mas ele não chegou a ser localizado.

Matérias relacionadas:

Desembargador suspende pedido de prisão do Gaeco contra Luís Neto    

Polícia faz buscas na casa da delegada Cassandra Moraes; marido é considerado foragido

Advogado diz que investigado em grilagem de terras vai se apresentar quando tiver acesso ao processo

Conheça detalhes da denúncia do MP e decisão do juiz sobre suspeitos de grilagem de terras    

 Empresário e advogado negam grilagem de terras em Luís Correia