Casa da Gestante acolhe mães com filhos internados na nova Evangelina Rosa

A iniciativa da Sesapi oferece acolhimento e apoio especializado para mães e bebês de municípios distantes de Teresina

Por Carlos Sousa,

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), através da Rede Cegonha, desenvolve um trabalho de acolhimento para mães com filhos internados na Nova Maternidade Dona Evangelina Rosa (NMDER), em Teresina. A Casa da Gestante, Bebê e Puérpera proporciona assistência integral, especialmente para gestantes, bebês e puérperas de municípios mais distantes da capital.

Foto: Governo do PiauíCasa da Gestante
Há dois meses, a rotina da dona de casa Aline Santos, de 40 anos, mudou drasticamente. Grávida de gêmeas, ela teve um parto prematuro de 26 semanas. Uma das bebês não sobreviveu, mas a pequena Maria Isis, nascida em 14 de abril, está em acompanhamento na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da NMDER. Residente de Milton Brandão, a 238 km de Teresina, Aline foi acolhida pela Casa da Gestante, onde recebe toda a assistência necessária para estar perto de sua filha.

"Se não fossem essas pessoas aqui eu não sei como seria minha situação para estar com minha filha em Teresina. Seria muito difícil fazer esse acompanhamento, se não fosse essa casa. Na casa, conheci muita gente e pudemos trocar experiências. Aqui acabamos nos tornando uma família", relata Aline.

Outra mãe acolhida é Aline Matos, de 24 anos, de Porto, a 168 km da capital. Após exames detectarem problemas intestinais no bebê, ela foi encaminhada para realizar o parto na NMDER. O pequeno Isac, seu terceiro filho, nasceu em 29 de abril e está há 45 dias na UTI. Sem condições de hospedagem em Teresina, Aline encontrou apoio na Casa da Gestante.

"Nós recebemos cuidado e apoio desde o motorista aos médicos da maternidade. Se não fosse a Casa da Gestante, minha situação para ficar na capital era muito difícil, pois a casa do meu irmão é muito pequena e distante da maternidade”, destaca Aline.

A Casa da Gestante, Bebê e Puérpera é uma estrutura localizada a menos de um quilômetro da NMDER, oferecendo 20 leitos distribuídos em seis quartos, uma ampla área de convivência, sala, cozinha equipada, lavanderia, copa, consultório, banheiros e armários. O objetivo é proporcionar um ambiente humanizado e acolhedor, garantindo suporte físico e mental às mães.

“Aqui é um local de humanização e acolhimento para as mulheres do interior do Piauí que precisam ficar em Teresina para seus cuidados ou do bebê e que não têm onde ficar. Nós buscamos entender a questão de saúde física e mental de cada uma e buscamos profissionais que possam ajudá-las neste momento tão delicado”, enfatiza a coordenadora da Casa da Gestante, Luziane Nogueira.

Fonte: Governo do Piauí

Comente

Pequisar