1. Editorias
  2. Polícia
  3. Polícia Federal cumpre mandados na sede da Secretaria de Educação
Publicidade

Polícia Federal cumpre mandados na sede da Secretaria de Educação

Essa diligência é o prosseguimento da operação Topique

(Atualizada às 12h15)

Agentes da Polícia Federal foram hoje de manhã cumprir mandados de busca e apreensão na sede da Secretaria de Educação do Estado. Essa diligência é o prosseguimento da operação Topique. Inquéritos apuram desvios de mais de R$ 100 milhões em licitação supostamente fraudulenta na área do transporte escolar. 

Sede da Seduc em Teresina (Foto: Wilson Nanaia / Portal AZ)

Em nota a Polícia Federal, afirmou que a “medida cautelar está sendo cumprida na Gerência de Tecnologia da Informação, setor de informática da SEDUC, no Centro Administrativo do Governo do Estado do Piauí, e tem a finalidade de recolher dados e arquivos de servidores públicos investigados pela prática de organização criminosa, corrupção passiva, lavagem de dinheiro e crimes de licitação”. 

Na primeira operação, definida operação Topique, foram presas 22 pessoas, entre servidores estaduais e empresários de transporte. 

Clique aqui e veja a nota da Seduc sobre o caso. 

Entenda o caso

A Polícia Federal deflagrou, em 25 de setembro, a segunda fase da Operação Topique, denominada Operação Satélite.  Os trabalhos contaram com o apoio da Controladoria-Geral da União (CGU) e do Ministério Público Federal (MPF).

Viatura da Polícia Federal no Palácio de Karnak (Foto: Lucas Sousa/Portal AZ)

A operação é voltada à investigação dos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, lavagem de dinheiro, organização criminosa e crimes de licitação praticados por gestores da Secretaria de Educação do Estado do Piauí (Seduc) e por empresários contratados para prestação de serviço de transporte escolar.

No total, estão sendo cumpridos 18 mandados de busca e apreensão em Teresina e um em Luís Correia. 80 Policiais Federais e 10 auditores da CGU estavam envolvidos nos trabalhos.

Operação Topique

A operação investiga crimes praticados por pessoas físicas e empresas acusadas de fraudar licitações e desviar dinheiro público destinado à prestação de serviços de transporte escolar nas secretarias estaduais de Educação e em municípios do Piauí e do Maranhão, custeados por recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e do Programa Nacional de Apoio ao Transporte do Escolar (Pnate). 

Matérias relacionadas

 Seduc diz que está colaborando com as investigações da Polícia Federal

Governador comenta declaração de Kleber Montezuma e lamenta “uso político” da Operação Topique

MPF diz que a Operação Topique é a Lava Jato do Piauí e nega risco de queima de arquivo de Carlos Magno

Operação Topique: investigação da Polícia Federal vira ação penal

Operação Topique: Polícia segue o rastro do dinheiro nos bancos

Em nota, Governo cita espetáculo e abuso de autoridade em operação da PF    

Operação da PF confirma o uso contínuo da corrupção no Governo do Piauí    

PF deflagra operação no Governo do Piauí por desvios de mais de R$ 50 milhões    

(Atualizada às 12h15)

Agentes da Polícia Federal foram hoje de manhã cumprir mandados de busca e apreensão na sede da Secretaria de Educação do Estado. Essa diligência é o prosseguimento da operação Topique. Inquéritos apuram desvios de mais de R$ 100 milhões em licitação supostamente fraudulenta na área do transporte escolar. 

Sede da Seduc em Teresina (Foto: Wilson Nanaia / Portal AZ)

Em nota a Polícia Federal, afirmou que a “medida cautelar está sendo cumprida na Gerência de Tecnologia da Informação, setor de informática da SEDUC, no Centro Administrativo do Governo do Estado do Piauí, e tem a finalidade de recolher dados e arquivos de servidores públicos investigados pela prática de organização criminosa, corrupção passiva, lavagem de dinheiro e crimes de licitação”. 

Na primeira operação, definida operação Topique, foram presas 22 pessoas, entre servidores estaduais e empresários de transporte. 

Clique aqui e veja a nota da Seduc sobre o caso. 

Entenda o caso

A Polícia Federal deflagrou, em 25 de setembro, a segunda fase da Operação Topique, denominada Operação Satélite.  Os trabalhos contaram com o apoio da Controladoria-Geral da União (CGU) e do Ministério Público Federal (MPF).

Viatura da Polícia Federal no Palácio de Karnak (Foto: Lucas Sousa/Portal AZ)

A operação é voltada à investigação dos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, lavagem de dinheiro, organização criminosa e crimes de licitação praticados por gestores da Secretaria de Educação do Estado do Piauí (Seduc) e por empresários contratados para prestação de serviço de transporte escolar.

No total, estão sendo cumpridos 18 mandados de busca e apreensão em Teresina e um em Luís Correia. 80 Policiais Federais e 10 auditores da CGU estavam envolvidos nos trabalhos.

Operação Topique

A operação investiga crimes praticados por pessoas físicas e empresas acusadas de fraudar licitações e desviar dinheiro público destinado à prestação de serviços de transporte escolar nas secretarias estaduais de Educação e em municípios do Piauí e do Maranhão, custeados por recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e do Programa Nacional de Apoio ao Transporte do Escolar (Pnate). 

Matérias relacionadas

 Seduc diz que está colaborando com as investigações da Polícia Federal

Governador comenta declaração de Kleber Montezuma e lamenta “uso político” da Operação Topique

MPF diz que a Operação Topique é a Lava Jato do Piauí e nega risco de queima de arquivo de Carlos Magno

Operação Topique: investigação da Polícia Federal vira ação penal

Operação Topique: Polícia segue o rastro do dinheiro nos bancos

Em nota, Governo cita espetáculo e abuso de autoridade em operação da PF    

Operação da PF confirma o uso contínuo da corrupção no Governo do Piauí    

PF deflagra operação no Governo do Piauí por desvios de mais de R$ 50 milhões