1. Colunas
  2. Arimatéia Azevedo
  3. Colcha de retalhos
Publicidade

Colcha de retalhos

Em um ano de extremas dificuldades e questionamentos sobre a questão dos condenados em segunda instância, a decisão do ministro Marco Aurélio sobre a suspensão da execução provisória desses condenados, mexeu com o país. E exibe que o Supremo Tribunal Federal se mostra uma Corte sem unidade, constituída por 11 ministros que se distinguem por pensamentos diferentes e interesses mais desiguais ainda. Nesta linha, já é comum o desfazimento de decisão de ministro por outro colega, o que aconteceu várias vezes ao longo deste ano. Pautada para julgamento em abril, a decisão de mérito sobre a constitucionalidade do Código de Processo Penal no que trata do princípio da presunção de inocência, surpreende que, neste período, uma decisão liminar possa antecipar, nesse viés de soltura, a interrupção da prisão de condenados em segunda instância. Dos casos conhecidos, o ex-presidente Lula seria o principal beneficiado e, talvez por isso a inquietação em todo o país. Mas na carta de liberdade que beneficia Lula, leva, também, Luiz Estevão, o ex-senador do Distrito Federal e tantos outros. O problema é que enquanto o país entra em convulsão nas redes sociais, nada dá a certeza de que o presidente, o vice, instados pela Procuradoria da República, não venham reformular a decisão de Marco Aurélio, tornando-a sem efeito e gerando, também nisso, a insegurança jurídica. O que existe, também, é o risco que a decisão precária do ministro Marco Aurélio gere desconfianças e achincalhe ainda mais o STF. Por essa visão, só se espera que o Supremo Tribunal Federal volte a atuar como uma Corte respeitável e uniforme, no sentido estrito da expressão, conectada com a realidade jurídica do país e não uma verdadeira colcha de retalhos.

Na frente de Themístocles Filho, Wellington e Wilson rindo cara a cara, na solenidade do TCE. Não condiz com o ‘esquecimento’ do governador na hora de citar as autoridades da mesa.

Valei-me, Jesus!

Já tem gente fazendo as contas: a decisão monocrática do ministro Marco Aurélio, do STF, não coloca apenas Lula em liberdade. 
Presos e condenados em segunda instância são mais de 150 mil, alguns deles, perigosos assaltantes. 
Só no Piauí serão pelo menos mil.

O esquecido

Chamaram (não se sabe por qual razão) o ex-governador Wilson Martins para a mesa das autoridades na posse de Abelardo Vilanova na presidência do TCE. 
Até aí nada demais nessa gentileza ou tropeção do cerimonial, mas o que surpreendeu foi Wilsão passar batido na lista de citados do governador Wellington Dias.

Ato impróprio

Wellington Dias começou o seu tradicional ‘bom dia’, que nem cabe nessas horas e seguiu citando um a um os presentes à mesa. 
Um informante da coluna jura que Wellington não citou Wilson Martins, provocando um certo frisson no ambiente.

Relação afável

Não se pode considerar esquecimento, gafe ou deselegância do governador ao omitir o nome de um dos presentes numa cerimônia como a do TCE. 
Até porque os dois foram muito afáveis ao se reencontrarem ali mesmo, depois da cerimônia e estiveram no mesmo palanque na última eleição em pelo menos 100 municípios. 

Lá vem!

A prisão, pela segunda vez, do casal Luiz Carlos Magno Silva e Lívia de Oliveira Saraiva, na operação Topic, só mostra uma coisa: que a champanhe que muitos gestores estaduais vão tomar neste Natal está aguada. 
Se o juiz federal Saulo Bahia revogou sua própria liminar e o TRF da 1ª Região determinou a prisão, é sinal de que tem muito aguaceiro nessa tormenta.

Crime eleitoral

Existem fortes indícios de que os grampos da operação Topic motivaram a revogação da soltura e as investigações se ampliam para outros crimes, inclusive eleitoral.
Os grampeados certamente esqueceram que estavam sendo grampeados no período eleitoral.

O buraco ó...

Não é sem razão a força tarefa ter quatro procuradores da República envolvidos numa única operação policial. 
Isso significa que houve desdobramentos e que o buraco é muito maior. Não se fala mais em rombo nos recursos dos fundos públicos de R$ 120 milhões. 
Essa cambada meteu a mão em algo acima de R$ 300 milhões.

Pobre Natal

O peru, certamente, não estará assando neste Natal para muita gente alcançada pela operação Topic e para aqueles que estão na sua mira.
Gente grande.

O teto da PGM

Já que reassumiu a chefia da Procuradoria  Geral do Município de Teresina , a advogada Georgia Nunes bem que poderia resolver os problemas na casa: o teto está infiltrado por conta das chuvas, com goteiras nas salas e muito mofo, levando risco aos processos, que são muito valiosos ao prefeito. 
Sem exagero, há funcionário que diz que o risco de o teto desabar é grande. 

Coisa imunda

Pior é que há denúncias de que servidores estão sendo obrigados a trabalhar mesmo sem água nos banheiros. 
Pelos próximos dois dias, eles usar garrafões de água para dar descarga e lavar as mãos.
Um horror, convenhamos, em se tratando do serviço público.

Corajoso

O estreante deputado Oliveira Neto (PPS) não esperou nem ir ‘beijar a mão’ de Wellington Dias para que o governador diga em quem deve votar na Assembleia Legislativa. 
Em vídeo, na presença de Themistocles, ele diz claramente que votará no cabeça branca para presidente.

O morto

Um policial matou um menor de 16 anos que tentava assaltar o seu comércio em Esperantina. 
Bom, não se pode nem dizer que o CPF dele foi cancelado. 
Porque ainda não o tinha.

Não foi

Fabrício Queiroz, o ex-motorista de Flávio Bolsonaro (aquele da conta milionária) não compareceu ao depoimento que prestaria ao Ministério Público, no Rio de Janeiro. 
Deve ser porque os dois ainda não se encontraram para combinar o que dizer.

Ficha suja

Gilberto Kassab foi alvo ontem de operação da Polícia Federal. Contra ele existem delações de recebimento de propina. São vários processos. 
E ainda assim João Dória vai insistir em nomeá-lo secretário de Governo.

Ping-Pong

Presença incômoda 

Incomodado com a presença do ex-governador Wilson Martins na mesa de honra da posse do novo presidente do TCE, teve conselheiro que repreendeu a cerimonialista Emília Nunes durante a solenidade. Ela então, no meio do evento foi ao microfone.

Emília: “Quero dizer que como membro da Academia Brasileira de Cerimônia e resolução que nos rege, os ex-governadores possuem esta deferência”.
Um Conselheiro (para o outro): “Mas precisava disso?”

Expressas

A Câmara de Vereadores de Teresina aprovou o Projeto de concessões para estacionamentos do centro da capital.

O objetivo do projeto enviado pela prefeitura é buscar uma maior organização dos espaços públicos do centro da cidade, contribuindo com a mobilidade urbana.

449 internos do sistema prisional do Piauí serão contemplados no dia 24 desse mês com a saída temporária para Natal e Ano Novo e devem retornar ao sistema até o dia 2 de janeiro de 2019.

O Portal AZ está sorteando ingressos para o pré reveillon White Party. A festa ocorrerá dia 28 de dezembro no Atlantic City. 

Em um ano de extremas dificuldades e questionamentos sobre a questão dos condenados em segunda instância, a decisão do ministro Marco Aurélio sobre a suspensão da execução provisória desses condenados, mexeu com o país. E exibe que o Supremo Tribunal Federal se mostra uma Corte sem unidade, constituída por 11 ministros que se distinguem por pensamentos diferentes e interesses mais desiguais ainda. Nesta linha, já é comum o desfazimento de decisão de ministro por outro colega, o que aconteceu várias vezes ao longo deste ano. Pautada para julgamento em abril, a decisão de mérito sobre a constitucionalidade do Código de Processo Penal no que trata do princípio da presunção de inocência, surpreende que, neste período, uma decisão liminar possa antecipar, nesse viés de soltura, a interrupção da prisão de condenados em segunda instância. Dos casos conhecidos, o ex-presidente Lula seria o principal beneficiado e, talvez por isso a inquietação em todo o país. Mas na carta de liberdade que beneficia Lula, leva, também, Luiz Estevão, o ex-senador do Distrito Federal e tantos outros. O problema é que enquanto o país entra em convulsão nas redes sociais, nada dá a certeza de que o presidente, o vice, instados pela Procuradoria da República, não venham reformular a decisão de Marco Aurélio, tornando-a sem efeito e gerando, também nisso, a insegurança jurídica. O que existe, também, é o risco que a decisão precária do ministro Marco Aurélio gere desconfianças e achincalhe ainda mais o STF. Por essa visão, só se espera que o Supremo Tribunal Federal volte a atuar como uma Corte respeitável e uniforme, no sentido estrito da expressão, conectada com a realidade jurídica do país e não uma verdadeira colcha de retalhos.

Na frente de Themístocles Filho, Wellington e Wilson rindo cara a cara, na solenidade do TCE. Não condiz com o ‘esquecimento’ do governador na hora de citar as autoridades da mesa.

Valei-me, Jesus!

Já tem gente fazendo as contas: a decisão monocrática do ministro Marco Aurélio, do STF, não coloca apenas Lula em liberdade. 
Presos e condenados em segunda instância são mais de 150 mil, alguns deles, perigosos assaltantes. 
Só no Piauí serão pelo menos mil.

O esquecido

Chamaram (não se sabe por qual razão) o ex-governador Wilson Martins para a mesa das autoridades na posse de Abelardo Vilanova na presidência do TCE. 
Até aí nada demais nessa gentileza ou tropeção do cerimonial, mas o que surpreendeu foi Wilsão passar batido na lista de citados do governador Wellington Dias.

Ato impróprio

Wellington Dias começou o seu tradicional ‘bom dia’, que nem cabe nessas horas e seguiu citando um a um os presentes à mesa. 
Um informante da coluna jura que Wellington não citou Wilson Martins, provocando um certo frisson no ambiente.

Relação afável

Não se pode considerar esquecimento, gafe ou deselegância do governador ao omitir o nome de um dos presentes numa cerimônia como a do TCE. 
Até porque os dois foram muito afáveis ao se reencontrarem ali mesmo, depois da cerimônia e estiveram no mesmo palanque na última eleição em pelo menos 100 municípios. 

Lá vem!

A prisão, pela segunda vez, do casal Luiz Carlos Magno Silva e Lívia de Oliveira Saraiva, na operação Topic, só mostra uma coisa: que a champanhe que muitos gestores estaduais vão tomar neste Natal está aguada. 
Se o juiz federal Saulo Bahia revogou sua própria liminar e o TRF da 1ª Região determinou a prisão, é sinal de que tem muito aguaceiro nessa tormenta.

Crime eleitoral

Existem fortes indícios de que os grampos da operação Topic motivaram a revogação da soltura e as investigações se ampliam para outros crimes, inclusive eleitoral.
Os grampeados certamente esqueceram que estavam sendo grampeados no período eleitoral.

O buraco ó...

Não é sem razão a força tarefa ter quatro procuradores da República envolvidos numa única operação policial. 
Isso significa que houve desdobramentos e que o buraco é muito maior. Não se fala mais em rombo nos recursos dos fundos públicos de R$ 120 milhões. 
Essa cambada meteu a mão em algo acima de R$ 300 milhões.

Pobre Natal

O peru, certamente, não estará assando neste Natal para muita gente alcançada pela operação Topic e para aqueles que estão na sua mira.
Gente grande.

O teto da PGM

Já que reassumiu a chefia da Procuradoria  Geral do Município de Teresina , a advogada Georgia Nunes bem que poderia resolver os problemas na casa: o teto está infiltrado por conta das chuvas, com goteiras nas salas e muito mofo, levando risco aos processos, que são muito valiosos ao prefeito. 
Sem exagero, há funcionário que diz que o risco de o teto desabar é grande. 

Coisa imunda

Pior é que há denúncias de que servidores estão sendo obrigados a trabalhar mesmo sem água nos banheiros. 
Pelos próximos dois dias, eles usar garrafões de água para dar descarga e lavar as mãos.
Um horror, convenhamos, em se tratando do serviço público.

Corajoso

O estreante deputado Oliveira Neto (PPS) não esperou nem ir ‘beijar a mão’ de Wellington Dias para que o governador diga em quem deve votar na Assembleia Legislativa. 
Em vídeo, na presença de Themistocles, ele diz claramente que votará no cabeça branca para presidente.

O morto

Um policial matou um menor de 16 anos que tentava assaltar o seu comércio em Esperantina. 
Bom, não se pode nem dizer que o CPF dele foi cancelado. 
Porque ainda não o tinha.

Não foi

Fabrício Queiroz, o ex-motorista de Flávio Bolsonaro (aquele da conta milionária) não compareceu ao depoimento que prestaria ao Ministério Público, no Rio de Janeiro. 
Deve ser porque os dois ainda não se encontraram para combinar o que dizer.

Ficha suja

Gilberto Kassab foi alvo ontem de operação da Polícia Federal. Contra ele existem delações de recebimento de propina. São vários processos. 
E ainda assim João Dória vai insistir em nomeá-lo secretário de Governo.

Ping-Pong

Presença incômoda 

Incomodado com a presença do ex-governador Wilson Martins na mesa de honra da posse do novo presidente do TCE, teve conselheiro que repreendeu a cerimonialista Emília Nunes durante a solenidade. Ela então, no meio do evento foi ao microfone.

Emília: “Quero dizer que como membro da Academia Brasileira de Cerimônia e resolução que nos rege, os ex-governadores possuem esta deferência”.
Um Conselheiro (para o outro): “Mas precisava disso?”

Expressas

A Câmara de Vereadores de Teresina aprovou o Projeto de concessões para estacionamentos do centro da capital.

O objetivo do projeto enviado pela prefeitura é buscar uma maior organização dos espaços públicos do centro da cidade, contribuindo com a mobilidade urbana.

449 internos do sistema prisional do Piauí serão contemplados no dia 24 desse mês com a saída temporária para Natal e Ano Novo e devem retornar ao sistema até o dia 2 de janeiro de 2019.

O Portal AZ está sorteando ingressos para o pré reveillon White Party. A festa ocorrerá dia 28 de dezembro no Atlantic City. 

Arimatéia Azevedo, um amigo querido e especial! Ciro, a oposição real